Índice de tendência do consumidor da China mantém alto nível no segundo trimestre

O índice que mede a confiança do consumidor da China permaneceu em alta no segundo trimestre de 2019, revelam dados divulgados nesta quarta-feira.

O índice de tendência do consumidor na China ficou em 115 pontos no segundo trimestre, semelhante ao do último trimestre, de acordo com a empresa global de medição e análise de dados Nielsen.

Os níveis do índice acima ou abaixo da linha de base de 100 indicam otimismo e pessimismo do consumidor, respetivamente.

O índice mede as perceções em relação às perspetivas de emprego, finanças pessoais e vontade de gastar.

Justin Sargent, presidente da Nielsen China, diz estar-se perante uma estrutura econômica continuamente otimizada e um poder endógeno da economia, já que a reforma estrutural no lado da oferta da China avança e a concretização de políticas para garantir a estabilidade tem vindo a ser consolidada. "Isso destaca a resiliência e vitalidade da economia chinesa e facilita eficazmente o desenvolvimento estável de longo prazo", afirmou o responsável da Nielsen China.

O subíndice para as finanças pessoais subiu para 71 pontos de 70 pontos, uma alta histórica, e o da tendência para o consumo foi de 61, o mesmo que no trimestre anterior. O subíndice de perspectivas de emprego ficou nos 77 pontos.

"O governo aplicou medidas para cortar ainda mais os impostos e diminuir as taxas, reduziu o custo de impostos e de incidência fiscal sobre as empresas e aumentou a vitalidade das empresas", observou Sargent. "Ao mesmo tempo, a reforma tributária resultou num aumento simultâneo do rendimento das famílias, que impulsionou o crescimento do consumo", disse ainda.

Relacionadas

Exclusivos