Governo timorense já levantou este ano mais de 468 ME

Petróleo em Timor-Leste

Petróleo em Timor-Leste

  |  DR

O Governo timorense já levantou este ano 518 milhões de dólares (cerca de 468,9 milhões de euros) do Fundo Petrolífero para financiar o Orçamento Geral do Estado (OGE), disse à Lusa o vice-governador do Banco Central timorense.

"Esta semana foi concretizada uma transferência adicional de 98 milhões de dólares (88,72 milhões de euros)", disse Venâncio Alves Maria, à margem da apresentação do relatório trimestral do Fundo Petrolífero referente ao período entre julho e setembro.

O relatório nota que o Governo timorense levantou 420 milhões de dólares (380,2 milhões de euros) do Fundo Petrolífero nos primeiros nove meses do ano, dos quais cerca de 200 milhões de dólares em agosto e setembro.

A esse total soma-se uma transferência de 98 milhões de dólares esta semana, elevando o total de transferências para o Fundo Consolidado (a conta do tesouro) a 518 milhões de dólares (cerca de 468,9 milhões de euros).

Venâncio Alves Maria explicou à Lusa que com a conclusão da transferência mais recente a conta do tesouro fica com um saldo de 256 milhões de dólares (231,7 milhões de euros), que inclui um valor de 72 milhões de dólares da segurança social.

"O Ministério das Finanças pode, em qualquer altura e até final do ano, fazer levantamentos adicionais que considere necessários", referiu.

Para gastos das contas públicas, o Governo tem assim disponível atualmente cerca de 184 milhões de dólares (166,47 milhões de euros).

Dados do Portal da Transparência do Ministério das Finanças mostram que, ao dia de hoje, o Estado timorense só tinha uma execução real de 60,68% do Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2019.

O valor "real" executado aumentou de 634,2 milhões de dólares (573,8 milhões de euros) no final do terceiro trimestre (30 de setembro) para 900 milhões de dólares (814,3 milhões de euros) até ao dia de hoje.

A esse valor somam-se obrigações de cerca de 101 milhões de dólares (91,38 milhões de euros), elevando o valor executado total para 67,6%

Do lado da receita - não petrolífera - os valores de execução estão hoje em 93,9% no, faltando ao Estado cobrar cerca de 12 milhões de dólares do valor inicialmente previsto de mais de 198,5 milhões de dólares.

Se a tendência se mantiver o Governo poderá ainda receber até ao final do ano mais cerca de 36% milhões de dólares (32,57 milhões de euros).

Relacionadas

Exclusivos