Centeno. Excedente histórico até setembro será "comido" pelos subsídios de Natal

Mário Centeno

Mário Centeno

  |  MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

"Último trimestre do ano é um trimestre pesado" do ponto de vista orçamental. Há o "impacto do pagamento dos subsídios de Natal", refere o ministro.

As contas públicas portuguesas atingiram no período de janeiro a setembro deste ano um excedente histórico equivalente a 1% do produto interno bruto (PIB), revelou ontem o Instituto Nacional de Estatística (INE), nas contas nacionais por setor económico. É o terceiro excedente obtido no setor público na série do INE, que remonta ao início de 1999. Todos pela mão do anterior governo do PS.

Este critério das contas nacionais é o que conta para calcular o valor do saldo público, que depois é avaliado à luz do Pacto de Estabilidade (Bruxelas) e pelos investidores internacionais.

Leia mais em Dinheiro Vivo.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG