Banco da China quer delegações em todos os países de língua portuguesa

Sede do Banco da China, em Pequim.

Sede do Banco da China, em Pequim.

  |  REUTERS/Jason Lee/File Photo

O presidente do Conselho de Supervisores do Banco da China disse hoje que o banco quer abrir delegações em todos os países de língua portuguesa, destacando que esta instituição financeira tem um caráter global.

"Temos todo o gosto em abrir delegações nos países de língua portuguesa", disse Wang Xiquan durante a intervenção de encerramento do "Seminário de Comunicação e Cooperação Financeira Internacional da Iniciativa 'Faixa e Rota'", que decorreu até hoje em Lisboa.

Para o presidente do conselho de supervisores do Banco da China, esta entidade "servirá de ponte para a comunicação entre a China e os países de língua portuguesa, facilitando a entrada" na China e para ajudar "a desenvolver a cooperação nestes países".

"O Banco da China é um banco global, com o objetivo de prestar serviços e cooperar com os governos de todo o mundo, e gostaríamos de ter cada vez mais intercâmbios nas áreas económicas e financeiras, para podermos ser úteis", concluiu o banqueiro.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG