A Total vai apostar nas energias renováveis

A Total vai apostar nas energias renováveis

O director-geral da Total Angola reconheceu, em entrevista ao Jornal de Angola, que a assinatura de acordos, para a extensão de todas as licenças do Bloco 17, veio dar outro dinamismo à indústria petrolífera. Olivier Jouny revelou que com o arranque do campo Kaombo Sul, depois de Kaombo Norte, todos no Bloco 32, a Total passou a produzir 650 mil barris/dia, cerca de 45 por cento da produção do país. O gestor frisou que os investimentos feitos pela companhia visam manter a liderança nas operações petrolíferas em Angola.

Há 65 anos em Angola, qual é a avaliação que a Total faz sobre o clima de negócios no país, no quadro das reformas no sector petrolífero?

O clima de negócios é encorajador e muito positivo. A nova concessionária nacional e os órgãos de tutela tomaram medidas perspicazes e muito inteligentes, implementando maior dinamismo na indústria petrolífera, com a criação de vários decretos para pesquisa, campos marginais e gás, cuja formulação teve a participação das maiores companhias a operar em Angola.

Leia mais em Jornal de Angola

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG