As ligações entre as "provas cristalinas" e "a vítima" Paulo Gonçalves. Os argumentos do e-toupeira

A decisão sobre o julgamento do processo e-toupeira, que envolve a SAD do Benfica, está agendada para 13 de dezembro.

No momento das buscas ao Estádio da Luz, âmbito do caso e-toupeira, foram encontrados na secretária de trabalho de Paulo Gonçalves documentos que diziam respeito a vários processos judiciais. Essas informações, defende o Ministério Público, mostram que o antigo assessor jurídico do Benfica tinha acesso a processos em segredo de justiça, dados que constavam na plataforma Citius, e que só um juiz ou funcionário judicial deveria conhecer.

No debate instrutório desta segunda-feira, o procurador Valter Alves explicou que os documentos que estavam na posse de Paulo Gonçalves eram peças processuais de casos como o dos e-mails, entre outros. Para além da informação sobre processos em segredo de justiça, estavam na secretária também dados da Segurança Social sobre terceiros, incluindo antigos árbitros.

Leia mais em TSF.

Relacionadas

Exclusivos