Angola fala pela tela da Zimbo

Apesar de ter estar apenas a caminho da terceira semana desde a sua estreia, o programa "FALA Angola" já conta com uma audiência considerável. Os integrantes da sua equipa, sob a apresentação do radialista e apresentador Salú Gonçalves, almejam fazer diferente e alcançar a excelência.

O sofrimento de uma mãe, ao contar a forma como o seu primogénito foi assassinado e, com ele, o fim de muitos sonhos e esperança de um futuro melhor, numa das matérias publicadas na edição de Segunda-feira, dia 11, do programa Fala Angola, da TV Zimbo (emissora do Grupo Média Nova), chocou a sociedade. O apresentador Salomão Bernardo Gonçalves, "Salú Gonçalves", 52 anos, e alguns dos membros da sua vasta equipa, que se encontravam nos bastidores, não conseguiram conter as emoções e lacrimejaram.

A equipa de reportagem do jornal O PAÍS deslocou-se à TV Zimbo com a finalidade de saber dos desafios do programa e do novo apresentador da estação televisiva. Salú Gonçalves, de forma descontraída, disse que esta é a sua terceira experiência em televisão, depois da Televisão Pública de Angola (TPA), nos anos 1980, e na Palanca TV, em 2016.

Esclareceu que este programa informativo pretende alertar as entidades de direito sobre os problemas por que as pessoas passam. Salú Gonçalves garantiu que as pessoas devem esperar do programa "FALA Angola" uma cobrança que começa no cidadão e termina nos dirigentes, em quem, por sinal ,a população depositou o seu voto. Porém, as pessoas também devem assumir que erram e estarem dispostas a corrigir e melhorar. "Grande parte dos cidadãos portam-se mal".

Leia mais em O País

Exclusivos