Festival Fringe regressa a Macau com música, dança, teatro e 'video-mapping'

Festival Fringe regressa a Macau com música, dança, teatro e 'video-mapping'

O festival Fringe regressa na sexta-feira ao centro histórico de Macau, com espetáculos de música, dança e 'video-mapping', prolongando-se até ao final do mês em vários pontos da cidade.

A 18.ª edição arranca com o espetáculo "Sigma", produzido pelos britânicos Gandini Juggling (grupo) e Seeta Patel (coreógrafa). Através de circo e dança clássica indiana, o espetáculo "mostra geometrias virtuosas", refere um comunicado do Instituto Cultural (IC).

No campo musical, o Fringe regressa este ano com um espetáculo interativo, com "instalações artísticas e orquestra ao ar livre", onde estarão patentes "desenhos de diferentes instrumentos musicais para o público tocar música", indicou o IC.

Já no teatro, haverá uma leitura ao ar livre da peça "Sónia", escrita pelo dramaturgo local Ma Wai In e encenada por Ku Ieng Un.

Entre vários outros espetáculos, o Fringe traz à cidade "The Icebook", dos artistas britânicos Davy e Kristin McGuire. De acordo com o IC, trata-se do primeiro livro pop-up do mundo em 'video-mapping' (projeção de vídeo em objetos ou superfícies irregulares).

Durante três semanas, o Festival Fringe realiza ainda 10 atividades de extensão, incluindo workshops, palestras, crítica artística e sessões de partilha,

O Fringe Macau arranca na sexta-feira e prolonga-se até ao dia 27 deste mês, com várias manifestações artísticas em vários pontos da cidade.

Relacionadas

Exclusivos