Museu da Língua Portuguesa e EDP promovem eventos na maior festa literária do Brasil

O museu da Língua Portuguesa e a empresa EDP vão promover debates, exposições, 'shows' e atividades culturais na cidade brasileira de Paraty, no estado do Rio de janeiro, na 17.ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip).

O Museu da Língua Portuguesa organizará uma batalha de poesia falada chamada "Flip Slam", que faz parte da programação principal da Flip e reunirá poetas de seis países e os 'performers' Pieta Poeta (Brasil), Edyoung Lennon (Cabo Verde), Raquel Lima (Portugal), Porsha Olayiwola (EUA), Joelle Taylor (Inglaterra) e Salva Soler (Espanha).

Na programação principal da Flip, o Museu apresenta, ainda, uma mesa literária com a participação do músico e escritor angolano Kalaf Epalanga.

Em comunicado à imprensa, o museu frisou que estas ações "consolidam uma trajetória de dois anos de colaboração com a Flip, em sinergia com o conteúdo do Museu, que está em reconstrução em São Paulo e incorpora no seu conteúdo da oralidade as novas linguagens, como o 'slam'".

Já a EDP promoverá espetáculos dos músicos Adriana Calcanhoto e Dino d'Santiago, e o 'rapper' Vinicius Terra, além de exposições, debates e programação gastronómica.

"Nesta Flip, a EDP, maior investidora portuguesa no Brasil, promove um pouco do que há de melhor na nossa literatura, música, história e gastronomia, por meio de atrações especialmente pensadas para celebrar a luso-brasilidade", destaca Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

A EDP patrocinou no Salão Nobre da Casa de Cultura de Paraty uma exposição com imagens históricas que mostram o início da construção do Museu do Ipiranga, em São Paulo, em 1885, e a modificação do espaço urbano ao seu redor através dos séculos.

No local ainda será realizada, na sexta-feira, dia 12, às 10:30, a mesa literária D. Pedro I - O Coração do Rei, com a historiadora e jornalista Iza Salles, autora do livro que dá nome à mesa, e Vera Tostes, historiadora e museóloga, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Elas vão debater a história relatada pelo Frei António de Arrábida, desde a chegada da Corte portuguesa no Rio de Janeiro, em 1808, até à morte do imperador, em Portugal.

A EDP também patrocina na Praça Aberta, ao pé da ponte do centro de Paraty, uma exposição interativa que explica a origem de ditados populares típicos do português e as peculiaridades da língua nas diferentes regiões do País e em Portugal.

No espaço à frente da mostra "A Energia da Língua Portuguesa", o visitante poderá divertir-se numa piscina de letrinhas, gravar na pele, com a ajuda de um tatuador, palavras e trechos de poemas com Henna e decorar painéis com carimbos.

A edição deste ano da Festa Literária Internacional de Paraty decorre de 10 a 14 de julho naquela cidade brasileira do Estado do Rio de Janeiro, a meio caminho de São Paulo, e terá como principal homenageado o escritor brasileiro Euclides da Cunha (1866-1909), sociólogo e autor de "Os Sertões", que foi correspondente de O Estado de São Paulo (1896-1897).

Dessa forma, toda a programação do Flip 2019 foi desenhada em função da relação entre Euclides da Cunha, outras linguagens e o território brasileiro, explicou a curadora do festival, Fernanda Diamant.

A escritora, psicóloga, teórica e artista interdisciplinar portuguesa Grada Kilomba e o realizador lusitano Miguel Gomes são também presença confirmada na 17.ª edição deste festival, que tem o seu início agendado para a próxima semana.

Relacionadas

Exclusivos