Feira do Livro de Macau estreia-se com aposta na cooperação comercial com países lusófonos

A Feira Internacional do Livro de Macau fez a sua estreia com uma aposta na cooperação comercial com os países lusófonos, disse hoje a presidente do Instituto Cultural, entidade que organiza o evento.

"Desejo que, com a realização da Feira Internacional do Livro de Macau, possamos promover uma cooperação intensa com os países de língua portuguesa, os países ao longo da iniciativa "Uma Faixa, Uma Rota" e a China na área do comércio, dos direitos de autor e das publicações", afirmou Mok Ian Ian no discurso inaugural.

"Também acreditamos que, através do papel que Macau desempenha como ponto de encontro entre ocidente e oriente, o fortalecimento das relações entre o interior da China e o mundo contribui para a construção da iniciativa "Uma Faixa, Uma Rota" e para a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau", acrescentou.

Mok Ian Ian referia-se à contribuição do território em dois mega projetos de Pequim: respetivamente, o investimento em infraestruturas em África, Ásia e Europa e a criação de uma metrópole mundial que integra Macau, Hong Kong e nove cidades da província chinesa de Guangdong com cerca de 70 milhões de habitantes.

Um dos patrocinadores do evento, a Companhia de Publicações da China, identificado como o maior grupo de publicações de livros gerais e profissionais chinês, salientou igualmente a vontade de se envolver neste desígnio, pela voz do seu presidente.

A ideia, sublinhou Tan Yue, passa por "desempenhar bem o papel entre as várias editoras, insistir na manutenção da diversidade cultural, explorar a cooperação em publicações e noutros campos com base nos direitos de autor, contribuindo para a publicação de livros e para a prosperidade cultural", apostando nas oportunidades das duas iniciativas chinesas.

A Feira Internacional do Livro, que se prolonga até domingo, tem um orçamento estimado de quase quatro milhões de patacas (350 mil euros).

No evento participam mais de 60 editores de mais de 20 países e regiões. Os expositores incluem editores de países de língua portuguesa: Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné Bissau.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Exclusivos