Filho combina firmeza e ternura ao relembrar relação com Elis Regina

Elis Regina nos anos 70

Elis Regina nos anos 70

  |  D.R.

João Marcello Bôscoli recorda uso de drogas pela cantora e mostra mãe presente e afetuosa em biografia.

Na primeira página do primeiro capítulo de "Elis e Eu: 11 Anos, 6 Meses e 19 Dias com Minha Mãe" (ótimo subtítulo), João Marcello Bôscoli escreve sobre a mãe cheirando cocaína no banheiro de casa com outras pessoas. Ele não viu a cena, mas ouviu, pois os sons não deixaram dúvidas. Na segunda página, recorda o horror que, anos antes, Elis Regina tinha de maconha. Na verdade, bastava sentir o cheiro de maconha num hotel que ela fazia as malas.

O título do capítulo é "Cansei de ser a polícia dos meus amigos". Foi o que ela disse, dando a senha para a sua entrada no universo das drogas. Bôscoli escreve um parágrafo de apenas duas palavras: "Cedeu, enfim". O primogênito da cantora deixa logo claro que seu livro não pretende vestir a mãe de santa. E se mostra capaz de ser firme sem perder a ternura.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Relacionadas

Exclusivos