Estado assume que perdeu 170 obras de arte à sua guarda

A pintora Vieira da Silva com Mário Soares. Entre as peças da Coleção SEC que o ex-Presidente mandou

A pintora Vieira da Silva com Mário Soares. Entre as peças da Coleção SEC que o ex-Presidente mandou reunir e que agora estão desaparecidas existiam as da pintora

  |  Arquivo DN

O destino das coleções de arte estão na ordem do dia em Portugal. Desta vez é o Estado a assumir que desconhece a localização de dezenas de obras de arte que David Mourão-Ferreira deu ordem para reunir em 1976.

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) confirmou ao DN que terminou o trabalho de atualização do inventário da Coleção Secretaria do Estado da Cultura (Coleção SEC) e que está a "identificar a exata localização de algumas obras de arte". É a resposta à notícia do semanário Expresso que revela que o Estado perdeu o rasto a 170 obras de arte desta coleção do Estado português.

O comentário da DGPC não clarifica se estas peças poderão ser recuperadas, pelo contrário a afirmação de que "esse trabalho de inventariação está concluído" indicia que a sua recuperação será muito difícil. É o que se pode concluir da resposta em que reafirma que "neste momento" o que está a "ser desenvolvido pela DGPC é um trabalho de atualização do inventário".

Leia mais em Diário de Notícias

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG