China destinará mais fundos para proteger património cultural da História Revolucionária

China destinará mais fundos para proteger património cultural da História Revolucionária

A China conta com 35 mil sítios e monumentos e um milhão de relíquias culturais móveis relacionadas com a História Revolucionária

A China destinará mais fundos à proteção do património cultural da época revolucionária e nas áreas pobres do país, informou nesta terça-feira Gu Yucai, vice-diretor da Administração Estatal de Património Cultural, numa entrevista coletiva realizada pelo Departamento de Comunicação do Conselho de Estado.

A China conta com 35 mil sítios e monumentos e um milhão de relíquias culturais móveis relacionadas com a História Revolucionária, segundo Gu. Os museus de Hstória Revolucionária passam de 800, acrescentou Gu.

A China revelou a primeira lista de 15 áreas para a proteção e utilização das relíquias culturais da época revolucionária, de acordo com uma circular divulgada por diversos departamentos do Comité Central do Partido Comunista da China (PCC) e do Conselho de Estado. As áreas, que atravessam 645 distritos e 110 cidades nas 20 regiões provinciais, incluem pontos históricos famosos como as Montanhas Jinggang, conhecidas como o "berço da Revolução chinesa", na Província de Jiangxi, leste da China. O movimento foi iniciado após a divulgação de uma diretriz no ano passado, com o objetivo de reforçar o património cultural revolucionário

Relacionadas

Exclusivos