“Se existe, apresente-a.” Agricultores desafiam ministra a revelar proposta contra a seca

por Viviana Chan
TSF

secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) desafia a ministra da Agricultura a apresentar as propostas que tem para combater a seca no país e considera que o que existe neste momento é “uma mão-cheia de nada”.

Esta terça-feira, Maria do Céu Antunes anunciou que a Comissão Europeia está disponível para distribuir 250 milhões de euros da reserva agrícola pelos Estados-membros mais afetados pela situação de seca extrema e pelas cheias. O pedido foi feito por Portugal e subscrito pelos governantes de França, Itália e Espanha, acrescentou a ministra.

Em declarações à TSF, o representante da CAP, Luís Mira, assinalou que os 250 milhões de euros é dinheiro que “o fundo tem para toda a União Europeia” e não apenas para Portugal, desafiando a ministra a esclarecer qual é o valor que toca ao país.

“Acho que há aqui um grande equívoco, porque Espanha apresentou um conjunto de medidas no valor de 2200 milhões de euros, medidas de âmbito nacional, com dinheiro do Orçamento do Estado, e depois foi a Bruxelas ver, desse montante, com quanto é que o fundo poderia contribuir”, explica Luís Mira, em contraponto com o que diz ser a situação portuguesa.

“N​​​​​ós aqui não temos nada, temos uma mão-cheia de nada. Este pedido da ministra vem atrasado um mês face a Espanha e a França e, mesmo atrasado um mês, não se conhecem as medidas”, lamenta o representante dos agricultores, colocando de novo a pergunta: “Quais são as medidas que Portugal vai aplicar relativamente à seca?”

Por Espanha, sublinha, “é fácil” responder à questão, porque “é só consultar os documentos” e por eles percebe-se que “não envolve só o Ministério da Agricultura“, mas também “o Ministério do Ambiente, o Ministério das Finanças e o Ministério da Segurança Social“.

“Envolve um conjunto de ministérios para que a ajuda possa ser substantiva. Aqui não, não temos nada, não se conhece a proposta. Se ela existe, apresente-a”, desafia.

O despacho que reconhece a situação de seca em 40% do território nacional, que permite acionar medidas de apoio à agricultura, foi assinado em 8 de maio.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!