Youtuber acusado de estupro é preso na França - Plataforma Media

Youtuber acusado de estupro é preso na França

O famoso youtuber francês Norman Thavaud, que tem 12 milhões de inscritos em seu canal, foi preso, nesta segunda-feira (5), em relação a uma investigação por estupro e corrupção de menores, iniciada na sequência do movimento MeToo.

A Promotoria de Paris indicou à AFP que “Norman”, como é conhecido, está sob custódia policial em virtude de uma investigação aberta em janeiro de 2022 e que envolve “seis denunciantes”, confirmando uma informação do jornal Libération.

Segundo a publicação, cinco das autoras da denúncia o acusam de estupro e duas delas eram menores de idade na época dos fatos.

Em 2020, Maggie D., uma fã da região canadense de Quebec, o acusou publicamente de tê-la manipulado para obter fotos e vídeos de cunho sexual e apresentou uma denúncia no Canadá. 

A denunciante canadense confirmou à  AFP que está na França para uma acareação com o youtuber diante dos investigadores do caso, como adiantou o Libération.

Thavaud, de 35 anos, iniciou suas aventuras na popular plataforma no início dos anos 2010 e seus vídeos, segundo contagem oficial, somam mais de 2,7 bilhões de visualizações.

Este símbolo de uma nova geração de humoristas nascida nas redes sociais ficou conhecido por cenas inspiradas em seu cotidiano ou em videogames e chegou a participar de filmes (“Meu Rei”, de Maïwenn) e séries (“Dix pour cent”).

As acusações começaram a aparecer em 2018, quando o youtuber francês com mais inscritos, Squeezie (17,6 milhões), tuitou contra aqueles que se aproveitam das seguidoras jovens “para obter relações sexuais”.

Embora não tenha o citado, vários depoimentos em resposta ao seu tuíte citaram Norman, no âmbito do movimento #balancetonyoutubeur (Denuncie seu youtuber), herdeiro do MeToo.

A Justiça francesa também investiga o youtuber Léo Grasset, especialista em divulgação científica, por denúncias de estupro e assédio sexual.

Assine nossa Newsletter