Início China Economia digital floresce em Guangdong

Economia digital floresce em Guangdong

Carol Law

A China tem promovido ativamente a sua economia digital ao longo dos últimos anos. O tema da 11ª edição da Expo Internacional Financeira Chinesa (Guangzhou) será a “Nova vitalidade financeira para a região de Lingnan numa nova era de economia digital”. Um representante da IBM China afirma que no futuro a economia digital na China será promovida com a Área da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau como localização estratégica para o seu desenvolvimento.

Em dezembro do ano passado o Conselho de Estado chinês publicou o “Programa de Desenvolvimento de Economia Digital do 14º Plano Quinquenal”. Este documento refere que em 2020 as “principais indústrias de economia digital representaram 7,8 por cento do PIB em termos de valor acrescentado bruto”. Ou seja, esta economia é uma força impulsionadora para o desenvolvimento sustentável e saudável de toda a economia. O objetivo do programa é “até 2025 garantir que a economia digital seja completamente expandida e que o valor acrescentado das suas principais indústrias atinja 10% do PIB nacional”, para que o nível de competitividade e influência desta economia seja constantemente reforçado.

De acordo com o relatório de “Análise à Economia Digital 2020-2021”, publicado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento de Segurança e Informação Industrial, o mercado de informação na China está a desenvolver-se a uma velocidade incrível, com uma dimensão de mercado a atingir os 54,5 mil milhões de RMB em 2020 e com previsão de ultrapassar os 174,9 mil durante o período do 14º Plano Quinquenal.

O tema da 11ª edição da Expo Internacional Financeira Chinesa (Guangzhou) será a “Nova vitalidade financeira para a região de Lingnan numa nova era de economia digital”. Segundo a sua apresentação, este será o primeiro evento desde que Guangzhou foi definida como região-piloto para a implementação de RMB digital e iniciada uma nova era de economia digital, com cerca de 300 participantes planeados.

A Expo conta também com uma serie de fóruns e eventos de marcas, com destaque para a “Aplicação do RMB digital em ‘Modo Guangzhou’”. Existirão várias bancas interativas e formas de experienciar o uso desta moeda digital como consumidor, de forma a educar o público sobre esta tecnologia, publicitar carteiras de RMB digital, terminais de pagamento e outros sistemas de hardware. Vários seminários internos irão ainda promover o estudo e exploração do RMB digital e da sua integração na economia digital de Guangzhou.

Leia também: “Está a tornar-se cada vez mais fácil estabelecer empresas em Guangdong”

Em abril deste ano Guangzhou iniciou o seu plano para impulsionar a implementação de 26 aplicações da moeda digital na cidade ao longo de três fases, com foco em sete áreas: restauração, habitação, transporte, turismo, comércio, entretenimento e saúde. Ao longo da campanha comercial organizada no fim de maio, os consumidores tiveram acesso a vouchers em várias apps designadas, que depois podiam ser usados em todas as grandes cadeias de supermercados em Guangzhou e centros de apoio (onde o lucro é utilizado para ajudar a população carenciada daquela região), usufruindo de descontos imediatos. O valor aglomerado destes cupões rondou os 10 milhões de RMB.

Em fevereiro de 2020 a Comissão de Reforma e Desenvolvimento de Guangdong anunciou oficialmente o seu “Plano Geral para a Construção de uma Zona-Piloto de Inteligência Artificial e Economia Digital em Guangzhou”. Neste documento, a região de Pazhou irá juntar-se à Cidade Universitária de Guangzhou, Cidade Financeira Internacional de Guangzhou e região de Yuzhu, para construir uma Zona-Piloto de Inteligência Artificial e Economia Digital em Guangzhou.

Esta zona-piloto irá ter como centro Pazhou, com ligações entre as regiões circundantes através de integração e desenvolvimento industrial. Até novembro de 2021 a zona-piloto contava já com mais de 30 mil empresas, incluindo a Tencent, Alibaba e Xiaomi. O total de capital investido nos seus projetos ronda os 86,7 mil milhões de RMB, fazendo com que entre janeiro e setembro do mesmo ano Pazhou tenha contabilizado uma receita total de 261,59 mil milhões, com um crescimento anual de 32,7%.

Em entrevista ao Nanfang Daily, Miao Keyan, o diretor-geral da IBM China afirma ainda: “Guangdong possui um ambiente empresarial altamente positivo e benéfico para o desenvolvimento da economia digital. Impulsionado pelas oportunidades disponíveis na Área da Grande Baía, o seu futuro é promissor.”

O mesmo salienta que segundo as “opiniões do Governo Popular de Guangdong sobre a cultivação e desenvolvimento estratégico de um polo industrial e de vários centros de indústrias emergentes”, foram planeados 20 centros industriais estratégicos, seguindo um sistema “1+20”. Foram ainda implementadas medidas como “10 regras para investimento estrangeiro” que continuamente procuram melhorar o seu ambiente empresarial e levam a que a IBM esteja confiante nas possibilidades do mercado chinês.

Miao Keyan salienta que a IBM continuará a promover o desenvolvimento de uma série de formas de cooperação inovadoras entre empresas de Hong Kong e Macau na China Interior, auxiliando a que empresas das três regiões consigam obter uma vantagem competitiva no mundo da digitalização e facilitando a sua transformação.

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!