Quatro obras-primas do Louvre transformadas em relógios suíços

por Mei Mei Wong
Helena Tecedeiro

O Leão de Dario, a Grande Esfinge de Tanis, a Vitória de Samotrácia e o Busto de Augusto adornam a nova série de relógios Métiers d’Art da Vacheron Constantin. São cinco exemplares de cada, únicos e exclusivos, que foram apresentados à imprensa em Paris num Museu do Louvre esvaziado de turistas.

Imponente no cimo da sua escadaria, a Vitória de Samotrácia ergue-se solitária num Louvre vazio das hordas de turistas que todos os dias fazem deste um dos museus mais visitados do mundo. De lado, iluminado por uns focos de luz potentes, está o relógio que a Vacheron Constantin criou inspirado na estátua descoberta em 1863 na ilha grega que lhe dá nome. Um olhar mais atento descobre por trás do drapeado das asas da Vitória um mostrador esmaltado a castanho, um contorno representando os frisos decorativos baseados em dois jarrões gregos e uma antiga inscrição grega gravada mediante metalização no cristal de safira – uma lista de atenienses iniciados nos mistérios dos deuses do Olimpo, sob a direção de um tal Sócrates. Este é um dos relógios Métiers d’Art. Homenagem a quatro grandes civilizações da Antiguidades e inspirados em outras tantas obras primas que podemos ver no museu parisiense.

Numa manhã de terça-feira em que o Louvre abriu as portas especialmente para os jornalistas convidados pela Vacheron Constantin, a marca de relógios Suíça fundada em 1755 por Jean-Marc Vacheron, a cujo neto se juntou o senhor Constantin (de nome François) em 1819, começamos por nos dirigir para a sala do Império Aqueménida, da Pérsia. Ali, escondido da vista de quem entra atrás de um monumental pilar que adornava o palácio de Dário, em Susa, e rodeado pelos frisos dos arqueiros do rei, podemos ver o leão de Dário, o Grande. E à sua frente, de novo sob os holofotes, o relógio Métiers d’Art que este inspirou. O que primeiro impressiona? O azul turquesa dos tijolos que compõem o fundo em que se destaca o leão. O friso à volta do mostrador inspirou-se no Friso dos Arqueiros, já as inscrições caligráficas gravadas mediante a técnica da metalização no cristal de safira provêm de uma cartela inscrita em persa antigo. Este texto em escrita cuneiforme é um dos primeiros escritos por Dário após chegar ao poder.

Da Pérsia para o Egito, atravessando o Louvre Medieval – o nível inferior da ala Sully – chegamos à Grande Esfinge de Tanis. O corpo de leão e a cabeça do faraó erguem-se no seu mármore rosa e à sua frente, o relógio que inspirou e no qual os artesãos da Vacheron Constantin tiveram de pôr toda a sua arte. Sobretudo na reprodução da barba postiça num espaço tão reduzido. Para tal, o ourives teve de trabalhar em relevo utilizando a técnica da ornamentação mediante perfurações, apesar da finura da placa, antes de realçar o efeito de profundidade aplicando uma patine ao material, primeiro com um maçarico e depois à mão. Para obter o azul e negro do mostrador, foram necessárias seis horas de cozedura no forno. E, claro, não podiam faltar os hieróglifos.

Por fim, depois de uma inusitada caminha por uma Galerie du Bord-de-l”Eau, em que se sucedem as obras dos grandes mestres da pintura italiana, totalmente vazia, chegamos ao Busto de Augusto. O primeiro imperador romano surge com o drapeado da sua toga e a coroa de folhas de carvalho. Bem à sua frente, o relógio que inspirou. De novo, além da obra que reproduz, tudo neste relógio Métiers d’Art é também… uma obra de arte. O centro do mostrador é esmaltado em azul e o contorno é decorado com um micromosaico em pedra. Este é o famoso mosaico do século IV descoberto em Lod, Israel. Para o reproduzir utilizaram-se 660 pedras. E não falta a inscrição em latim: uma dedicatória ao Génio (protetor divino) da cidade de Russicada, a atual Skikda, na Argélia.

Parceria com História

Estabelecida em 2019, a parceria entre o Louvre e a Vacheron Constantin tem aqui a sua última concretização, mas já passou por vários momentos. “Era quase inerente que as duas casas se encontrassem e selassem esta parceria. Em 2019 promovemos os dois mundos, os dois universos cruzados, através de uma série de pequenos vídeos que deram a conhecer o paralelo dos artesanato. Foi a primeira milestone. Depois tivemos oportunidade de organizar um leilão para o meio educativo. Usámos a nossa notoriedade e tivemos a sorte de poder dar a um cliente a oportunidade de licitar e escolher um relógio com a obra de arte que quisesse, que irá receber no final deste ano”, explica Sandrine Donguy. E quando queremos saber qual foi a obra escolhida, a diretora para o Marketing de Produtos e Inovação da Vacheron Constantin esclarece: “Escolheu a Lutte pour l”Étendard de Rubens“.

Mas voltando a esta série Métiers d’Art em que só foram feitos cinco exemplares de cada relógio inspirado em cada uma das quatro obras de arte do Louvre, a escolha destas foi mais fácil do que possa parecer.

Leia mais em Diário de Notícias

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!