China nega que conflito ucraniano estaria a afastar Moscovo e Pequim

China nega que conflito ucraniano estaria a afastar Moscovo e Pequim

Com os EUA e o Reino Unido a ordenar às famílias dos funcionários da embaixada em Kiev que partam da Ucrânia e a autorizar o pessoal a partir no domingo, os receios de guerra aumentam devido à alegada “invasão iminente” da Ucrânia por parte da Rússia

A China desmente afastamento entre Moscovo e Pequim devido à Ucrânia. A crise na Ucrânia tem causado o aparecimento de algumas notícias, nomeadamente entre alguns meios de comunicação social ocidentais, incluindo a Bloomberg, segundo as quais o conflito pode afectar a confiança mútua China-Rússia. Para os chineses, isto reflecte a “má intenção” das forças ocidentais que tentam instigar divergências entre Pequim e Moscovo, disseram analistas.

Leia também: Xi diz a Putin que China e Rússia devem defender-se contra o Ocidente

A China desmente o afastamento entre Moscovo e Pequim, tendo segunda-feira, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês refutou um relatório da Bloomberg que afirmava que o líder chinês tinha alegadamente “pedido ao Presidente russo Vladimir Putin que não invadisse a Ucrânia durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022”. “O relatório foi puramente feito do nada. Procura não só difamar e perturbar as relações China-Rússia, mas também perturbar e minar deliberadamente os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim. Um truque tão desprezível não pode enganar a comunidade internacional”, disse Zhao Lijian, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, numa conferência de imprensa.

Leia mais em Hoje Macau

Artigos relacionados
MundoPolítica

Combates alcançam 'intensidade máxima' no leste da Ucrânia

MundoPolítica

Pelo menos 1500 pessoas mortas em Severodonetsk, diz militar

EconomiaMundo

Bruxelas propõe mais medidas para evitar que oligarcas russos escapem às sanções

MundoPolítica

ONU preocupada com baixas civis nos “combates ferozes” na região leste

Assine nossa Newsletter