Avaliação financeira sobre Angola concluída em Março - Plataforma Media

Avaliação financeira sobre Angola concluída em Março

O relatório de avaliação mútua do Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI) sobre Angola vai ficar concluído em março de 2023, estando prevista uma visita do grupo de especialistas ao país em junho de 2022

A avaliação financeira de Angola ficará concluída em março. As informações foram avançadas pela directora da Unidade de Informação Financeira (UIF), Francisca de Brito, em Luanda, num encontro com jornalistas, durante o qual explicou as várias fases deste processo de avaliação relativo ao sistema de prevenção e combate ao branqueamento de capitais, em que os peritos vão avaliar o grau de cumprimento e implementação das recomendações do GAFI desde 2012, quando foi aprovado o relatório anterior e Angola foi admitida como membro do Esaalmg (Grupo Anti-Branqueamento de Capitais e Financiamento do Terrorismo da África Oriental e Austral), grupo regional do GAFI.

Em 2010, Angola foi incluída na “lista negra” do GAFI e considerada como jurisdição não cooperante, devido às fragilidades do seu sistema financeiro, tendo entretanto transitado para uma “lista cinzenta”, e em 2016 deixou de ser considerada uma jurisdição de alto risco.

A nova avaliação começou em Outubro deste ano e até 2023, Angola vai ter de provar que cumpriu as 40 recomendações anteriores, com várias alíneas, que constam do questionário com cerca de 500 páginas a que a UIF vai ter de responder até dia 15 deste mês.

Seguem-se outras diligências, até chegar à fase final do relatório que será concluído em Março de 2023 e discutido em plenário no mês seguinte com outros 17 países africanos, um processo longo onde Angola terá de responder a várias questões.

Leia mais em Jornal de Angola

Related posts
ChinaEconomia

Hengqin implementará medidas de apoio à finança moderna em Macau

EconomiaGrande Baía

Empresas financeiras de Hong Kong exploram Macau

MacauPolítica

Macau repudia relatório de Taiwan sobre diminuição de liberdades

ChinaEconomia

Steve Vickers prevê maior controlo do fluxo de capitais no Jogo

Assine nossa Newsletter