Especialista chinês aponta caminho para normalidade face à pandemia

Especialista chinês aponta caminho para normalidade face à pandemia

Na Cimeira da Grande Baía, dedicada à vacinação, o pneumologista chinês que lidera o grupo de resposta à pandemia afirmou que a variante Ómicron não é motivo para alarme e que o caminho para a normalidade passa pela redução da taxa de mortalidade e da capacidade reprodutiva do vírus. As apostas na vacinação e na política de zero casos também são imperativas

O caminho para a normalidade no contexto pandémico chinês tornou-se um pouco mais nítido: a queda da taxa de mortalidade para cerca de 0,1 por cento e do rácio de reprodução (infecção). As metas foram apontadas pelo pneumologista Zhong Nanshan, que dirige a task-force de luta contra a covid-19, este fim-de-semana em Shenzhen na 2.ª Cimeira da Grande Baía sobre Vacinação.

Em dois artigos amplamente destacados no jornal oficial Global Times, o reputado especialista, que presidiu à Associação Médica Chinesa, referiu que apesar do elevado grau de contágio da nova variante Ómicron, não há nada a temer. “Não temos medo da Ómicron, vamos aplicar uma política dinâmica de zero casos, observando rigorosamente medidas precisas de prevenção e controlo estabelecidas”, afirmou, citado pelo Global Times.

Leia também: Política de ‘zero casos’ e encerramento ao estrangeiro vão continuar

Com a taxa de mortalidade global ainda longe da meta desejável, a situar-se nos 1,9 por cento, Zhong indicou que a China precisa de vacinar totalmente a população rumo à imunidade de grupo, não afrouxar os mecanismos de prevenção e controlo e apostar na investigação científica e no desenvolvimento de medicamentos eficazes.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
ChinaMacau

Lei Chan U diz que gestão da pandemia está “desligada da realidade”

ChinaSociedade

Autoridades chinesas pedem desculpa por entrarem à força em casas à procura de infetados

ChinaEconomia

Crescimento da China de 0,4% no 2º trimestre devido a confinamentos

ChinaEconomia

“Zero covid” pode diminuir investimento estrangeiro na China

Assine nossa Newsletter