Pandemia reduz idade de acesso à reforma - Plataforma Media

Pandemia reduz idade de acesso à reforma

A evolução da mortalidade em 2021 irá, pela primeira vez desde que a idade normal de aposentação se encontra ligada à esperança média de vida, resultar numa redução da idade de reforma. Em 2023, e de acordo com cálculos a partir dos indicadores provisórios publicados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística, o acesso regular à pensão de velhice deverá acontecer aos 66 anos e quatro meses.

Serão menos três meses do que a idade de aposentação já legislada para 2022, que ficará em 66 anos e sete meses, e menos dois meses do que a idade normal de acesso à pensão em vigor neste ano, nos 66 anos e seis meses.

A redução expectável em 2023 decorre de uma quebra significativa na esperança média de vida para quem completa 65 anos, devido ao aumento da mortalidade com a pandemia. Segundo os dados do INE, no triénio terminado em 2021, a esperança média de vida aos 65 anos ficou em 19,35 anos, bastante abaixo do indicador dos três anos terminados em 2020 (19,69 anos).

A esperança média de vida aos 65 anos caiu pela primeira vez neste século, com uma redução em 0,34 anos, correspondente a quatro meses de vida.

A idade normal de acesso à pensão de velhice encontra-se em Portugal desde 2016 ligada à evolução da longevidade da população, numa reforma introduzida pelo ex-ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, e que permite antecipar uma idade de reforma de 69 anos e quatro meses em 2070, de acordo com as últimas projeções do Ageing Report da Comissão Europeia. Serão mais três anos do que a idade de reforma que se antecipa agora para 2023.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter