João Lourenço recebe Cartão de Munícipe - Plataforma Media

João Lourenço recebe Cartão de Munícipe

O Presidente da República, João Lourenço, actualizou, segunda-feira (22), os dados eleitorais, no Balcão Único de Atendimento “Luanda 18”, condição que permite o exercício de voto nas eleições gerais de 2022.

Em aproximadamente cinco minutos, o Chefe de Estado, acompanhado da Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço, saiu do edifício da Comissão Administrativa de Luanda com o Cartão de Munícipe.

Depois disso, João Lourenço recebeu do ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, esclarecimentos sobre o funcionamento e o número de balcões.

Durante o acto, os fiscais dos partidos políticos consideraram a actualização do Registo Eleitoral Oficioso do Presidente da República um chamamento para incentivar os cidadãos a acorrerem aos Balcões Únicos de Atendimento ao Público (BUAP).

Na ocasião, o director nacional do Registo Eleitoral Oficioso do Ministério da Administração do Território, Fernando Paixão, sublinhouque “a presença do Presidente João Lourenço é uma chamada para todos aqueles que ainda não actualizaram o  registo e um exemplo de cidadania como angolano e participante da vida activa”.

Em declarações à imprensa, destacou que a actualização do Registo Eleitoral do Chefe de Estado no Balcão 18 de Luanda é um acto carregado de simbolismo. Enquanto cidadão, acrescentou, mostra que participa activamente nos processos sobre o país.

João Lourenço apelou também à comunidade e aos angolanos, de maneira geral, a actualizarem os dados.

Sobre a fraca adesão dos cidadãos aos Balcões de Registo, preocupação manifestada pelos fiscais, Fernando Paixão explicou que “o BUAP Luanda 18, por exemplo, foi concebido para este acto” e acredita  que nos próximos dias  vai registar maior adesão”.

Questionado sobre as dificuldades apontadas, recentemente, pelos partidos políticos, no que toca aos trabalhos desenvolvidos pelos seus fiscais, esclareceu que a responsabilidade da fiscalização dos actos do Registo Eleitoral decorre dos próprios partidos.

“São os partidos políticos que devem indicar os seus fiscais. Cabe ao Ministério da Administração do Território fazer o credenciamento dos fiscais e, em acto contínuo, entregar o mapeamento ou as listas dos locais onde estão os BUAP a funcionar. Tudo o resto decorre da responsabilidade dos próprios partidos políticos”, reforçou.

Leia mais em Jornal de Angola

Assine nossa Newsletter