Duas mil microempresas vão passar para a economia formal -

Duas mil microempresas vão passar para a economia formal

O Executivo lançou, terça-feira (16), no Mercado do 30, município de Viana, em Luanda, o Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI) para formalização de duas mil microempresas que, ainda, estão na economia informal em todo o país.

Na ocasião, o ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, sublinhou a importância do registo dos agentes informais para que possam beneficiar de múltiplas vantagens disponíveis com a formalização dos negócios. 

Declarou que “o passo dado hoje tem como objectivo proteger os agentes económicos e vendedores ambulantes, para que, na sequência da formalização, passem a ter acesso a um conjunto de serviços que, de outro modo, não teriam”.  
O ministro de Estado para a Coordenação Económica considerou “muito grande” o peso da economia informal no país, tendo, por esta razão, referido que o “PREI tem uma importância estratégica”, pois este sector envolve parte significativa da população produtora de bens e serviços. 

Para o ministro da Agricultura e Pescas, António Francisco de Assis, o processo de formalização vai permitir afinar as estatísticas, através do volume de transacções, isto é, a quantidade de produtos que entra para os mercados informais.

Já o representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Edo Storw, encara o processo como uma forma de assegurar um futuro sustentável, uma vez que Angola pretende aderir à zona de comércio livre, estando bem posicionada para fazer crescer a economia, comercializando produtos diversos à semelhança de outros países africanos.

Leia mais em Jornal de Angola

Assine nossa Newsletter