Reunião ministerial do Fórum Macau adiada para início do próximo ano

Reunião ministerial do Fórum Macau adiada para início do próximo ano

A reunião ministerial extraordinária prevista para meados deste mês do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa foi novamente adiada, agora para o início do próximo ano, disse à TDM-Rádio Macau fonte ligada à instituição

O encontro esteve previsto para Outubro último em Macau, mas o aparecimento naquele mês de um novo surto de COVID-19 no território acabou por ser determinante para o empurrar para meio de Novembro.

Agora, devido a focos da doença em Pequim e às rígidas medidas impostas para controlar o vírus, levou as autoridades a apontarem a reunião extraordinária do Fórum Macau para Janeiro ou Fevereiro do próximo ano, no território.

A VI Conferência Interministerial do Fórum Macau parece, assim, enguiçada. Com periodicidade prevista de três em três anos, este encontro que junta no território altos responsáveis ministeriais da China e dos países de Língua Portuguesa, aconteceu pela última vez em Macau, em 2016. Desde então nunca mais estiveram reunidas condições para cumprir aquele intervalo temporal.

O primeiro adiamento foi conhecido em 2018, um ano antes da VI conferência ordinária, prevista para o Outono de 2019. Motivo invocado… Macau ía estar por essa altura envolvida no processo de  eleição do novo chefe do Governo e nas comemorações, a 20 de Dezembro, dos 20 anos da transferência de soberania com presença no território do presidente Xi Jinping.

Por isso, a conferência foi adiada para 2020, mas sem data previamente fixada.

Entretanto, o início desse ano coincidiu com o aparecimento em força de um novo tipo de coronavírus.

Numa fase inicial, começou por se agendar a interministerial para 29 e 30 de Junho do ano passado.

Como a pandemia não deu tréguas, também essa reunião ficou sem efeito. As autoridades apostaram então numa nova data, Outubro deste ano, e numa outra designação – reunião ministerial extraordinária, em formato misto: online para os ministros, presencial para os embaixadores lusófonos em Pequim.

Leia mais em TDM

Related posts
ChinaLusofonia

Fórum de Macau lança guias de investimento para países lusófonos

LusofoniaMacau

Secretariado do Fórum recomenda adesão da Guiné Equatorial

ChinaEconomia

Fórum Macau: Saúde e recuperação económica no topo das prioridades

AngolaChina

Angola pede mais 'flexibilidade' para o fundo do Fórum Macau

Assine nossa Newsletter