YouTube suspende conta de Bolsonaro - Plataforma Media

YouTube suspende conta de Bolsonaro

O Youtube suspendeu na segunda-feira o canal do Presidente brasileiro por pelo menos sete dias, após Jair Bolsonaro ter alegado num vídeo que o uso de vacinas contra covid-19 poderia facilitar o desenvolvimento de SIDA.

O vídeo, que foi transmitido em direto na conta oficial do Presidente na quinta-feira, também foi removido porque viola as diretrizes de “desinformação médica sobre a covid-19” da plataforma, explicou o YouTube.

“Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou qual a sua opinião política”, indicou a plataforma de vídeos em comunicado.

Porta-vozes do YouTube explicaram à agência espanhola Efe que a plataforma também optou por suspender a conta de Bolsonaro por pelo menos uma semana porque o seu canal já havia sido notificado em julho sobre a publicação de desinformação sobre a pandemia.

Assim, por se tratar de uma “reincidência”, o líder da extrema-direita brasileira não poderá publicar novos vídeos ou transmitir ao vivo pelos próximos sete dias.

É a primeira vez que uma rede social suspende o perfil de Bolsonaro, que se tem caracterizado pelo negacionismo diante da gravidade da pandemia da covid-19 e da eficácia das vacinas para combater a doença.

Juiz pede que PGR investigue Bolsonaro por notícia falsa sobre vacina e SIDA

Antes do YouTube, também as redes sociais Facebook e Instagram retiraram das suas plataformas o vídeo em que Bolsonaro vinculava o uso de vacinas contra a covid-19 ao desenvolvimento de SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida).

Perante a divulgação deste vídeo, o juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro pediu na segunda-feira à Procuradoria-Geral da República (PGR) que investigue o chefe de Estado por ter relacionado as vacinas contra a covid-19 com o desenvolvimento de SIDA.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter