Quais são os seis países dos Balcãs em lista de espera para entrar na União Europeia? - Plataforma Media

Quais são os seis países dos Balcãs em lista de espera para entrar na União Europeia?

O processo de adesão começou há mais de uma década, mas ainda não há luz ao fundo do túnel. Há quem não tenha cumprido critérios, mas há também outros entraves.

Albânia sente-se refém, para lá do entrave da canábis e da corrupção

AAlbânia, onde vivem 2,8 milhões de pessoas, apresentou a sua candidatura à União Europeia em 2009 e desde 2014 que tem o estatuto de país candidato. Em 2020 foi dado o acordo para o início das negociações. Mas apesar de todas as recomendações positivas e de Tirana seguir com a aplicação das reformas relacionadas com a agenda da UE, a adesão continua pendente. Os albaneses questionam se o entrave se prende com o facto de a maioria da população ser muçulmana e isso não agradar aos países europeus que temem uma “invasão” migratória. Mas um dos problemas passa pelo cultivo ilegal de canábis – a Albânia foi o sexto maior fornecedor do mundo e o maior da Europa entre 2015 e 2019, segundo um relatório da ONU de 2020. Os grupos criminosos que se dedicam a este tráfico expandiram-se também para o de cocaína, sendo que durante anos o governo virou as costas ao problema e em alguns casos foi mesmo acusado de conluio – já foi criada uma estrutura especial de luta contra a corrupção e o crime organizado. Contudo essa não é a principal razão para o impasse. O primeiro-ministro socialista Edi Rama queixa-se de que a adesão está “refém” da Bulgária. O problema não é a Albânia, mas o outro país que faz parte do pacote de adesão: a Macedónia do Norte.

Macedónia do Norte suspensa pelo problema bilateral com a Bulgária

Primeiro foi a Grécia a bloquear a adesão da Macedónia do Norte exigindo que mudasse o nome – Macedónia é também uma região grega. Os dois países chegaram entretanto a acordo. Agora o travão vem da Bulgária. Sófia quer que Skopje reconheça que a nação e a língua macedónias têm raízes búlgaras anteriores à sua criação, em 1944, como república da antiga Jugoslávia. A Macedónia do Norte, que é independente desde 1991 e tem cerca de dois milhões de habitantes, pediu a adesão em 2004 e começou oficialmente as negociações em 2020, tendo cumprido já os critérios para a conseguir. O primeiro-ministro Zoran Zaev diz que o país está preparado para dar os passos que ainda forem necessários, mas espera que a Bulgária desbloqueie a situação.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter