"Ardam no inferno". Monges atearam fogo a antenas 5G -

“Ardam no inferno”. Monges atearam fogo a antenas 5G

Os monges disseram ao juiz de instrução que queriam “alertar a população contra os efeitos nocivos do 5G”,

Dois monges católicos no sudeste de França foram acusados ​​de atear fogo a antenas de rede móvel 5G para chamar a atenção para os supostos riscos que a nova tecnologia apresenta para a saúde , segundo o ministério público francês.

Em confissão perante a polícia, os monges de um mosteiro capuchinho ultraconservador na região do Ródano, revelaram que saíram durante a noite, na semana passada, para queimar a primeira das duas antenas que planeavam destruir. Na noite seguinte, aventuraram-se até à segunda antena, numa aldeia vizinha. Dessa vez, no entanto, a polícia já os esperava e levou-os sob custódia, assim que começaram a atear o fogo.

Os danos reais causados foram insignificantes, disseram os procuradores à AFP, mas os monges foram acusados ​​de “vandalismo com um dispositivo incendiário”.

Os monges disseram a um juiz de instrução que queriam “alertar a população contra os efeitos nocivos do 5G”, segundo disse à AFP a procuradora da cidade de Villefranche, Laetitia Francart.

As operadoras de telecomunicações têm enfrentado protestos locais em algumas partes de França contra as antenas 5G, entre alegações de que elas constituem um perigo para a saúde.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter