Timor-Leste regista três mortes, maior número desde o início da pandemia

Timor-Leste regista três mortes, maior número desde o início da pandemia

Timor-Leste registou hoje três mortes associadas à covid-19, o maior número num só dia desde o início da pandemia, e 117 novas infeções, a maior parte em Díli, segundo as autoridades de saúde.

Dados do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC) indicam que as três mortes se registaram em Díli — todas pessoas que estavam no Centro de Isolamento de Vera Cruz –, fazendo aumentar o total de casos mortais desde março de 2020 para 33.

As três vítimas são um homem de 60 anos — com história de insuficiência renal crónica e que entrou em Vera Cruz no domingo -, um homem de 76 que morreu com um tromboembolismo pulmunar e uma mulher de 63 anos com história de anemia grave.

Nas últimas 24 horas registaram-se em Díli 68 novos casos, 15 em Covalima, dez na Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA), seis cada em Aileu e Liquiçá, cinco em Manufahi, três cada em Ainaro e Bobonaro e um em Viqueque.

Tendo em contas as novas infeções, e o total de 41 casos recuperados, o total de casos ativos no país aumentou para 2.141 e o total acumulado desde o início da pandemia subiu para 12.682.

Díli tem atualmente 887 casos ativos, Ermera 695, Covalima 180 e o enclave de Oecusse um total de 98.

Os dados de hoje confirmam o agravamento da situação da pandemia da covid-19 em Timor-Leste durante as últimas semanas, com o país a experimentar a sua segunda vaga.

No boletim epidemiológico semanal, as autoridades notam que entre os 1.036 casos registados na última semana, havia 122 pessoas já com a vacinação completa (considerada duas semanas depois da segunda dose), 262 com a primeira dose e 452 sem qualquer vacina.

“Nenhuma das 30 mortes registadas até ao momento estavam vacinadas”, refere o boletim, que abrange o período entre 09 e 15 de agosto e não conta com os dados de hoje.

Só na última semana até 15 de agosto, Timor-Leste registou 1.036 novas infeções, o que representa 8,2% de todos os casos registados no país desde o início da pandemia (12.565), com um dos dias a ser um dos com mais novas infeções.

O aumento de casos levou a taxa de incidência a quase duplicar de 6,1 casos por 100 mil habitantes na semana entre 02 e 08 de agosto para 11,2 por 100 mil habitantes na semana até 15 de agosto.

Díli voltou a liderar essa tabela, com uma taxa de incidência passando de 9,2 para 23,2 casos por 100 mil habitantes, com taxas elevadas em Covalima (14), Ermera (13,9) e na Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA), atualmente em 10,7.

A análise semanal foi preparada pelo Pilar 3 do Ministério da Saúde, em conjunto com a ‘task-force’ para Prevenção e Mitigação da covid-19 da Sala de Situação do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC).

O Instituto Nacional de Saúde timorense, a Organização Mundial de Saúde (OMS), as Equipas de Apoio Médico Australiano (AusMAT) e a Menzies School of Health Research, instituição que apoia o Laboratório Nacional timorense em Díli nos testes à covid-19, também participam no estudo.

O boletim mostra igualmente que a taxa de positividade — o número de casos detetados versus testes realizados — foi na última semana de 17,7% (ou 679 em 3.842 testes), mais do dobro dos valores da semana anterior, onde se fixou em 8,2%.

Especialmente elevada foi a taxa de positividade em Ermera (47%) e na RAEOA (21%).

Depois de a primeira vaga começar a ser controlada até praticamente o final de julho, desde aí os casos ativos no país quase triplicaram, passando de 700 na última semana do mês passado para os 2.141 de hoje.

Uma nova vaga que começou a aumentar desde o início do mês de agosto, marcada pelo crescimento significativo em municípios fora da capital, especialmente Ermera — a região com menor taxa de vacinação no país.

Confirmada foi igualmente a entrada da variante Delta no país, nomeadamente em Ermera.

Os dados mostram igualmente que depois de Díli ser o principal foco da doença, durante a primeira vaga, no caso desta nova vaga de agosto o aumento tem sido particularmente acentuado fora da capital.

No que toca à vacinação, até 15 de agosto já tinham a primeira dose um total de 340.703 pessoas, ou 45,1% da população do país com mais de 18 anos, sendo que a vacinação completa abrangia já 127.600 pessoas, ou 16,9% da população.

Timor-Leste recebeu hoje oficialmente 170 mil doses de vacinas oferecidas pelo Governo japonês.

“O número de casos da covid-19 em Timor-Leste está a aumentar, e é provável que aumente ainda mais, com a rápida propagação da variante Delta. Em populações com elevada cobertura de vacinas, é provável que isso resulte principalmente em casos ligeiros”, refere o boletim.

“No entanto, existe um risco muito elevado de casos graves e mortes em pessoas que não estão totalmente vacinadas. É importante que a vacinação seja aumentada em municípios com menor cobertura de vacinas, incluindo Ermera, Ainaro, Aileu e Liquica”, “, sublinha.

Assine nossa Newsletter