Pequim quer "relações amigáveis" com os talibãs no poder

Pequim quer “relações amigáveis” com os talibãs no poder

A República Popular da China que partilha 76 quilómetros com o Afeganistão anunciou hoje que quer manter “relações amigáveis” com os talibãs, na sequência da tomada de Cabul.

Pequim “respeita o direito do povo afegão a decidir o próprio destino” disse hoje a porta voz da diplomacia chinesa, Hua Chunying, em conferência de imprensa.

As forças talibãs tomaram no domingo a cidade de Cabul.

A negociação sobre a retirada dos Estados Unidos foi estabelecida nos acordos de fevereiro de 2020 tendo a saída dos militares norte-americanos começado em maio, altura em que os talibãs lançaram uma operação militar de grande escala em todo o país.

No domingo, as forças talibãs entraram em Cabul após a partida para o exílio do chefe de Estado afegão.

Assine nossa Newsletter