Porque Cuba vive os maiores protestos em décadas? - Plataforma Media

Porque Cuba vive os maiores protestos em décadas?

Escassez de alimentos, remédios e liberdade de expressão em meio à pandemia levam cubanos às ruas.

“Já não gritamos mais ‘pátria ou morte’ [slogan da revolução de 1959], mas ‘pátria e vida'”, cantaram os manifestantes que saíram às ruas em diversas cidades de Cuba e em Miami, nos EUA, no último domingo (11), para protestar contra o regime. As palavras são parte de uma canção de um grupo de artistas: Yotuel Romero, Descemer Bueno, El Osorbo e El Funky. Lançada em 16 de fevereiro, ela tem servido como motor dos protestos, até então pouco volumosos e pontuais, que vinham ocorrendo nos últimos meses.

Mas apenas uma música não levaria multidões às ruas se a situação em Cuba não fosse tão grave.

O país viu o PIB encolher 11% no ano passado. A ilha, que importa mais de 70% do que consome, tem sofrido com a escassez de alimentos e remédios devido ao fechamento das fronteiras provocado pela pandemia de Covid. Posts em redes sociais que mostram longas filas para comprar os itens são comuns.

A falta de comida é tão grande que o regime cubano impôs condições para permitir que camponeses matem vacas ou bois para consumo próprio. No pedido ao Estado pelo direito de matar o animal, é preciso declarar quanto leite a vaca já produziu e quantos quilos tem o boi.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter