Arábia Saudita e Omã apelam ao consenso na OPEP+ para estabilidade no petróleo - Plataforma Media

Arábia Saudita e Omã apelam ao consenso na OPEP+ para estabilidade no petróleo

A Arábia Saudita e Omã salientaram hoje a necessidade de voltar ao consenso na aliança OPEP+ pela “estabilidade e equilíbrio” do mercado petrolífero, foi hoje anunciado.

A declaração dos dois países foi feita no final de uma visita do sultão de Omã, Haitham bin Tareq, que tradicionalmente atua como mediador no golfo Pérsico, à Arábia Saudita, informaram fontes oficiais.

“As duas partes elogiaram os esforços da OPEP+, liderados pela Arábia Saudita e com a participação de Omã, pela estabilidade e equilíbrio do mercado, apesar da fraca procura registada devido à pandemia do coronavírus que ainda afeta o mundo”, de acordo com um comunicado reproduzido pela agência oficial de notícias saudita SPA.

Também “enfatizaram a necessidade de continuar a cooperação para apoiar a estabilidade dos mercados petrolíferos”, adianta o documento numa alusão implícita à falta de consenso da OPEP+ (Organização de Países Exportadores de Petróleo e 10 aliados liderados pela Rússia) sobre os níveis de produção para os próximos meses.

Esta situação, que provocou receios de aumentos unilaterais da oferta por parte dos membros da OPEP+, deveu-se a divergências entre a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos (EAU) quanto aos níveis de produção, uma vez que ambos, juntamente com Omã, são membros do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), que também inclui o Bahrein, o Qatar e o Kuwait.

Vários comentadores árabes insinuaram a possibilidade de o sultão de Omã intervir para aproximar os pontos de vista entre Riade e os EAU, tendo em conta o papel mediador que o seu país tem desempenhado em várias questões da região, tais como o conflito no Iémen.

Esta é a primeira viagem de Haitham ao estrangeiro desde que ascendeu ao trono em janeiro de 2020 e durante a visita encontrou-se com o rei Salman bin Abdelaziz e o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman.

Os líderes assinaram vários acordos para reforçar a cooperação bilateral nos domínios do investimento, comércio, energias renováveis e indústria petroquímica, entre outros, e destacaram os preparativos para acelerar a abertura de uma estrada e de um cruzamento entre os dois países para reforçar as trocas comerciais.

Assine nossa Newsletter