China disputa com Alibaba e Tencent para implementar sua moeda digital - Plataforma Media

China disputa com Alibaba e Tencent para implementar sua moeda digital

Brasil ainda conversa sobre Pix, enquanto Camboja e Bahamas também avançam em moedas digitais.

O e-yuan da China é uma das iniciativas de moeda digital de um banco central mais avançadas do mundo, com mais de 2 bilhões de yuans (US$ 314 milhões) gastos até agora. No entanto, o país tem dois obstáculos pela frente: o AliPay e o WeChat Pay, principais meios de pagamentos no país.

A China iniciou as conversas sobre criptomoedas em 2014 e começou seu projeto piloto no fim do ano passado. Segundo o jornal South Morning China, existem hoje 11 regiões do país em que o e-yuan foi implementado para testes.

O plano do país é colocar a moeda em circulação entre estrangeiros durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. A ideia é que esse grupo possa fazer as conversões de suas moedas nacionais direto para o e-yuan.

Kelly Luostarinen, diretora em intercâmbio da PwC China no Brasil, afirma que a corrupção e a lavagem de dinheiro levaram o governo a olhar mais atentamente para as moedas digitais. “Houve esse movimento por parte do banco central de manter a soberania monetária”, diz.

Outra razão para a ofensiva chinesa na área é o crescimento das big techs do país, afirmam analistas. A autoridade central chinesa vem impondo sanções a grupos como Alibaba e Tencent desde o fim do ano passado.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Related posts
ChinaFuturo

Pequim lança ataque público às gigantes de tecnologia

China

China anuncia nova ronda de multas às gigantes de tecnologia do país

China

China multa 'gigante' do comércio 'online' Alibaba em 2,33 mil milhões de euros

ChinaSociedade

Governo chinês pede ao grupo Alibaba que se desfaça de ativos na imprensa

Assine nossa Newsletter