Crianças representam quase metade da população de África - Plataforma Media

Crianças representam quase metade da população de África

Segundo um relatório conjunto UNICEF/Save the Children, apresentado em 2020, África continua a ser um dos continentes com o maior índice de pobreza e as crianças a viverem em extrema vulnerabilidade.

Por ocasião do Dia da Criança Africana, que hoje se assinala, o representante do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF) em Angola, Ivan Yerovi, falou da situação real da criança no continente, em particular em Angola, e das acções levadas a cabo em benefício delas. Segundo o responsável, o aumento da situação da pobreza é motivado, principalmente, pela falta de acções para proteger as famílias das dificuldades financeiras causadas pela pandemia.

Que caracterização se pode fazer das crianças africanas?
As crianças e jovens africanos correspondem a mais de 70% da população do continente. Trata-se de um grupo bastante vulnerável e ao mesmo tempo promissor. Podemos dizer que, devido à sua população muito jovem, fruto da transição demográfica, o continente oferece uma grande oportunidade de crescimento e redução da pobreza.

Esta possibilidade de que fala depende essencialmente de quê?
Esta prosperidade do continente depende, essencialmente, da forma como as crianças são periodizadas nas decisões políticas tomadas hoje. As escolhas políticas e de investimento que estão a ser feitas agora terão impacto no bem-estar das crianças africanas. Porque estas crianças representam agora quase metade de toda a população de África e, em 2055, o continente será o lar de um bilião de crianças e, até ao final do século, projecta-se que a África seja o lar de quase metade das crianças do mundo. Logo, todas as políticas que forem tomadas a favor das crianças moldarão o futuro do próprio continente.

Leia mais em Jornal de Angola

Assine nossa Newsletter