Covid-19 vai destruir cerca de 100 milhões de empregos em 2021 - Plataforma Media

Covid-19 vai destruir cerca de 100 milhões de empregos em 2021

A pandemia vai destruir o equivalente a 100 milhões de empregos a tempo inteiro, em 2021, número que cairá para 26 milhões em 2022, mas o crescimento do emprego não compensará as perdas sofridas até 2023, advertiu a OIT.

No relatório actualizado sobre o impacto da pandemia de Covid-19 no mercado de trabalho, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) piora ligeiramente a previsão inicial do início deste ano, devido a factores como o ritmo lento da vacinação em muitos países, que pode atrasar a recuperação económica.

O número de horas equivalentes a 100 milhões de empregos destruídos inclui não só os empregos que a OIT estima que se perderão (cerca de 14 milhões em 2021), mas também os resultantes de reduções do horário de trabalho.

Em 2020, a OIT estimou que a pandemia destruiu horas de trabalho equivalentes a 255 milhões de empregos em todo o mundo, um número que espera que se reduza para mais de metade até 2021 e cerca de um décimo até 2022, embora os números ainda negativos mostrem que “a crise do emprego está longe de ter terminado”.

Segundo as novas previsões, a organização, com sede em Genebra, espera que o número de pessoas desempregadas no mundo se situe em 205 milhões, em 2022, muito acima dos 187 milhões, em 2019, elevando a taxa de desemprego para 5,7%. O relatório calcula que as taxas de perda de horas de trabalho no mundo foram de 4,8%, no primeiro trimestre, e de 4,4%, no segundo trimestre.

Leia mais em Jornal de Angola

Related posts
EconomiaMundo

Empregos criados após a pandemia vão ser de "má qualidade"

Grande BaíaMacau

Shenzhen abre contratação de funcionários públicos a Hong Kong e Macau

EconomiaPortugal

Maioria dos portugueses em situação de pobreza trabalha

PortugalSociedade

Emprego jovem melhora em Portugal, mas ainda há menos 79 mil a trabalhar

Assine nossa Newsletter