UE, Timor e ONG analisam integração de alterações climáticas no currículo escolar

UE, Timor e ONG analisam integração de alterações climáticas no currículo escolar

A União Europeia e duas organizações não governamentais (ONG) locais vão apoiar o Governo timorense na introdução do tema das alterações climáticas no currículo do 3.º ciclo do ensino básico timorense

Uma proposta concreta sobre a integração das alterações climáticas como um novo tema no currículo está em preparação antes da apresentação formal ao Ministério da Educação, Juventude e Desporto (MEJD) timorense, disse à Lusa o embaixador da UE em Díli, Andrew Jacobs.

O projeto é financiado pela UE e tem como parceiros de implementação as ONG timorenses Plan International Timor-Leste, que trabalha em vários setores, incluindo o ambiental, e a RAEBIA, uma ONG timorense que usa agricultura sustentável para apoiar na resiliência de comunidades locais.

O tema foi debatido num seminário, esta semana, em que participaram representantes do Governo, das várias instituições envolvidas e de professores, entre outros.

“É um passo no processo de preparação desse processo. Esta é uma questão de muita importância e é muito positivo que o MEJD e a Secretaria de Estado do Ambiente estejam desde já envolvidos no processo”, salientou Jacobs.

“Estou muito orgulhoso por a UE apoiar esta iniciativa. A adaptação às alterações climáticas é uma parte importante da política da UE e do seu envolvimento no mundo. As alterações climáticas estão a afetar significativamente as nossas vidas e é por isso fundamental promover o conhecimento sobre a adaptação e mitigação das alterações climáticas”, frisou Jacobs, no encontro.

“Todas as crianças, homens e mulheres devem estar conscientes do desafio ambiental que enfrentamos, e a educação deve equipá-los com uma compreensão das questões em jogo, para que possam empenhar-se e encontrar soluções a nível local, nacional e global”, referiu.

Além de Andrew Jacobs, o seminário contou com a participação, entre outros, do vice-ministro da Educação, Juventude e Desporto (MEJD), António Guterres, do diretor-nacional de Alterações Climáticas do Gabinete do Secretário de Estado do Ambiente, Augusto Pinto, e da responsável da Plan Internacional Timor-Leste (PITL), Dillyana Ximenes.

O projeto vai procurar sensibilizar as crianças e os estudantes para as questões das alterações climáticas, que têm cada vez mais impacto em Timor-Leste.

No encontro, António Guterres salientou a importância de integrar as alterações climáticas no currículo, o que “irá aumentar os conhecimentos das crianças sobre este assunto em particular e prepará-las para se tornarem campeãs climáticas para as gerações vindouras”.

Já Augusto Pinto expressou apreço pela iniciativa e encorajou todas as partes a apresentarem propostas sobre a adaptação às alterações climáticas e a redução do risco de desastres e a integração destes temas no currículo escolar.

Jacobs considerou especialmente importante a integração desta agenda no currículo escolar, para ajudar a transformar os jovens “cidadãos ativos, fazendo mudanças nas escolhas de estilo de vida e apelando a uma economia, sociedade e ambiente global saudável e justa”.

Related posts
MundoSociedade

UE adverte que campanhas de vacinação podem ignorar grupos vulneráveis

PolíticaPortugal

Portugueses são os europeus com uma imagem mais positiva da UE

BrasilEconomia

Crise alerta para a importância da educação financeira, dizem especialistas

ChinaEconomia

Acordo China-UE: A “validade” de um documento marcado por “tensões” geopolíticas

Assine nossa Newsletter