Pela paz social – Veja o PDF

Pela paz social – Veja o PDF

PDF: Versão Integral do PLATAFORMA às sextas-feiras nas bancas em Macau

Conselheiro das comunidades do círculo da China, Macau e Hong Kong, Gilberto Camacho considera que os portugueses são bem recebidos por estas paragens. Diz que esta “não é uma boa altura para haver problemas” em Macau porque “Pequim está muito sensível”. “Não convém andarmos exaltados e irritados”, diz em entrevista ao PLATAFORMA.
Manchete: “Quando se deu a crise, quem deu a mão a Portugal foi a China. Ficar-lhe-ia mal se agora saltasse para a ribalta para apontar o dedo”

Outros destaques nesta edição:

Dinis Chan – chama-nos à atenção esta semana sobre opedido de autorização da União de Macau para o Desenvolvimento da Democracia para organizar uma vigília, à semelhança do que fez em anos anteriores. Pedido recusado pela PSP invocando medidas de prevenção da pandemia, mas também alegando que configura crime à luz do código penal de Macau. Se assim é, como diz a autoridade, então porque foi autorizada no passado?
O direito de reunião é um direito fundamental previsto na Lei Básica. O Governo não precisa de agir como se estivesse a enfrentar um grande inimigo, nem deve impedir a população de se expressar livremente.
Editorial: A transição da primavera para o verão

Paulo Rego – fala-nos esta semana sobre o pedido de desculpas e arrependimento do Presidente angolano em nome do Estado pelo banho de sangue derramado, a 27 de Maio de 1977, onde o regime do MPLA dizimou as vozes da oposição. Um gesto que marca uma nova era de reconciliação política e social num país traumatizado por décadas de abusos políticos e delapidação de riqueza.
A moralização do país está a sair cara, porque eliminou um passado que não servia, mas tarda em encontrar um futuro que funcione. Mas o país está a respirar melhor e novos ares, anunciando capacidade de construir um futuro com novos parceiros tais como a China e Macau.
Sinais: O arrependimento é sublime

Fazer de Macau um novo centro financeiro vai exigir forte aposta e uma firme cooperação entre os setores público e privado na formação profissional para atrair jovens quadros.
Setor financeiro: É preciso preparar talentos para o desenvolvimento financeiro

Milhares de pessoas despediram-se no início desta semana, na cidade de Changsha, centro da China, do cientista Yuan Longping, conhecido pelo desenvolvimento das primeiras variedades de arroz híbrido, e que morreu no último sábado, aos 90 anos
China: Milhares na despedida de Yuan Longping, o “pai do arroz híbrido”

Related posts

Trancas de regresso às portas – Veja o PDF

Vacina devagar, devagarinho – Veja o PDF

Amigos da terra – Veja o PDF

Ciência de mãos dadas – Veja o PDF

Assine nossa Newsletter