Jornalista de agência turca que fez pergunta incómoda ao governo é demitido

Jornalista de agência turca que fez pergunta incómoda ao governo é demitido

Um jornalista da agência de imprensa estatal turca Anadolu foi demitido nesta sexta-feira (21) após ter feito uma pergunta sobre as acusações de um chefe da mafia contra o poderoso ministro do Interior turco

Há três semanas, Sedat Peker, personagem famoso da máfia que vive no exterior, postou vídeos no YouTube acusando membros do governo e do partido governante AKP de crime e corrupção.

Em um desses vídeos, Peker afirma que o Ministro do Interior, Süleyman Soylu, o protegeu e o informou sobre a abertura de uma investigação contra ele no ano passado para permitir que ele fugisse da Turquia antes de ser detido.

A oposição pede a renúncia do ministro, um dos membros mais poderosos do governo do presidente Recep Tayyip Erdogan. Soylu nega as acusações.

Neste contexto, o jornalista de Anadolu Musab Turan pediu uma reação sobre este assunto na noite desta sexta-feira durante uma coletiva de imprensa dos Ministros da Indústria, Mustafa Varank, e da Agricultura, Bekir Pakdemirli.

Turan perguntou se o governo tinha um plano para lidar com o escândalo e chamou Soylu de uma pessoa cujo “nome está associado a graves faltas morais” e “uma vergonha’.

Um vídeo dessa cena foi veiculado nas redes sociais.

A Anadolu anunciou que estava demitindo seu funcionário, acusando-o de ter violado “princípios jornalísticos” e de ter feito “propaganda política”.

“Pedimos a um promotor que conduza uma investigação para verificar se (o jornalista) pertence ou não a um grupo terrorista”, relatou a Anadolu.

“Aqueles que procuram minar a respeitabilidade de nosso Estado pagarão o preço”, advertiu o diretor de comunicação da presidência turca, Fahrettin Altun, no Twitter.

Assine nossa Newsletter