EUA e Rússia tentam mitigar tensão no primeiro encontro entre Blinken e Lavrov

EUA e Rússia tentam mitigar tensão no primeiro encontro entre Blinken e Lavrov

Os chanceleres dos Estados Unidos e da Rússia tentaram acalmar a tensão em sua primeira reunião desde a posse do presidente Joe Biden, nesta quarta-feira (19), declarando que estão dispostos a cooperar, embora tenham feito alertas que refletem o abismo existente entre os dois países

A reunião de quase duas horas na capital da Islândia, à margem do Conselho Ártico, tinha como objetivo abrir o caminho para uma provável cúpula entres os presidentes americano, Biden, e russo, Vladimir Putin.

O experiente ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, elogiou o diálogo “construtivo” com o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken.

A Rússia e os Estados Unidos “entendem a necessidade de pôr um fim ao clima nocivo que se formou nas relações entre Moscou e Washington nos últimos anos”, afirmou Lavrov, citado pela agência russa RIA Novosti.

Apesar das inúmeras “divergências”, “nossa visão é que se os líderes da Rússia e dos Estados Unidos puderem trabalhar cooperativamente” diante de desafios comuns”, o mundo estará mais seguro”, declarou Blinken no início da reunião a portas fechadas, pedindo uma relação “estável e previsível”.

“Mas se a Rússia se comportar agressivamente contra nós, nossos parceiros ou nossos aliados, responderemos”, advertiu Blinken.

Durante a reunião, o americano expressou sua “profunda preocupação” com o envio de tropas russas à Ucrânia e perto da fronteira com este país, com a saúde do oponente russo Alexei Navalny e com a “repressão às organizações da oposição”.

Uma cúpula entre Joe Biden e Vladimir Putin pode ser realizada em breve, de acordo com Moscou e Washington, mas a data e o local ainda não foram oficialmente definidos. Talvez em junho, quando a cúpula do G7 e a reunião dos líderes da Otan também estão planejadas, que se acredita representem uma frente única anti-Moscou.

“Estamos prontos para falar sobre todos os tipos de tópicos, sem exceção, desde que o diálogo seja honesto e se baseie no respeito mútuo”, respondeu Lavrov.

Diante da imprensa, antes de um cara a cara a portas fechadas, a conversa foi cortês, ao contrário do que aconteceu no primeiro encontro entre Blinken e o chefe da diplomacia chinesa em março no Alasca.

Apaziguamento

Mas antes do encontro presencial na Islândia, à margem do Conselho Ártico, que também começou nesta quarta-feira e reúne oito países da região (Estados Unidos, Rússia, Islândia, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Noruega), Washington fez um gesto para aliviar a tensão.

Semanas depois de ameaçar aplicar sanções contra o polêmico gasoduto Nord Stream 2 entre a Rússia e a Alemanha, a administração de Biden finalmente decidiu não sancionar a principal empresa envolvida no projeto, a Nord Stream AG, e seu diretor executivo.

Haverá sanções, mas contra outras entidades. Desta forma, o presidente americano quer se esquivar da raiva da Alemanha, que indiretamente favorece Moscou. A decisão causou descontentamento entre os republicanos, mas também do lado democrata.

Especificamente, essa decisão equivale a deixar o caminho livre para a realização desse gasoduto, que é mal visto pelos Estados Unidos.

“É melhor do que ler anúncios de novas sanções, (o fim das sanções) seria sem dúvida positivo”, reagiu o Kremlin antes que Washington confirmasse a informação.

Desde que chegou à Casa Branca em janeiro, o presidente Biden tem sido muito firme diante da Rússia de Putin, a quem passou a chamar de “assassino”, para marcar o rompimento com seu antecessor Donald Trump, acusado de ser tolerante com os Kremlin.

Moscou e Washington se acusaram mutuamente e impuseram sanções desde o início do mandato democrata. Mas, agora, os dois países dizem que estão buscando um apaziguamento.

Com esse objetivo, Biden e Putin querem realizar uma primeira cúpula em junho em um país europeu.

Nesse mesmo mês acontecerá a cúpula do G7 e a reunião dos líderes da Otan, que deve mostrar uma frente unida anti-Moscou.

Blinken confirmou na terça-feira que espera que o encontro dos presidentes ocorra “nas próximas semanas”.

Related posts

Onda de calor precoce no oeste dos EUA pode quebrar recordes

Lifestyle

Nintendo revela imagens do próximo Zelda na E3

MundoSociedade

Cientista chinesa no centro de polémica sobre Covid nega vazamento de laboratório

ChinaMundo

EUA entram em diálogo com Taiwan sobre comércio apesar das advertências da China

Assine nossa Newsletter