Mais de 50 empresas angolanas interessadas em gerir aterro sanitário de Luanda - Plataforma Media

Mais de 50 empresas angolanas interessadas em gerir aterro sanitário de Luanda

Das 89 empresas que manifestaram interesse no concurso público internacional para a concessão da gestão do aterro sanitário dos Mulenvos, em Luanda, 52 são angolanas, segundo o secretário de Estado para o Planeamento.

Entre as restantes 37 empresas estrangeiras, predominam países como a França, Suécia, Itália, África do Sul e Namíbia, adiantou Milton Reis, num encontro com a imprensa.

O concurso está a decorrer no portal do Serviço Nacional da Contratação Pública e obedece às duas fases para o processo, nomeadamente, fase de qualificação, até 30 de maio, e fase de concurso, para a qual serão convidados os candidatos que satisfaçam os requisitos técnicos e financeiros.

O projeto de concessão, em parceria público-privada, para a gestão do aterro sanitário dos Mulenvos, foi aprovado por despacho presidencial, em 24 de março, e prevê a triagem e valorização dos resíduos sólidos através da reciclagem, venda de produtos reciclados, compostagem, incineração, biogás e produção de energia.

A capital angolana, com mais de oito milhões de habitantes, produz numa média anual 3,3 milhões de toneladas de resíduos sólidos, de acordo com um estudo realizado pelo Ministério da Economia e Planeamento, que aponta ainda que 45% dessa produção de lixo tem potencial de reutilização como matéria-prima para a indústria, 35% como fertilizantes e os restantes 20% para a produção de energia.

O Governo angolano estima um investimento de cerca de 60 milhões de euros, para a requalificação do aterro, para o transformar num centro de valorização de resíduos.

Related posts
AngolaSociedade

Pescadores do cemitério de navios em Angola pescam sucata em vez de peixe

AngolaSociedade

Sobe para 10 número de mortos devido a bebida alcoólica adulterada em Luanda

AngolaPortugal

Cinco empresas portuguesas juntaram-se hoje à mega limpeza de Luanda

Angola

Chuvas torrenciais em Luanda fazem 14 mortos e deixam 8.000 pessoas desalojadas

Assine nossa Newsletter