Acordo União Europeia-Mercosul vira espantalho e está paralisado, dizem legisladores - Plataforma Media

Acordo União Europeia-Mercosul vira espantalho e está paralisado, dizem legisladores

Crescem pressão por compromissos ambientais e a percepção de que projeto não sai sob Bolsonaro.

O acordo União Europeia-Mercosul tornou-se um “espantalho” no centro da disputa entre políticos europeus e está paralisado à espera de um anexo de compromissos ambientais adicionais que nem começou a ser negociado, segundo legisladores europeus e integrantes do governo dos dois blocos.

A parte comercial do acordo de associação entre ambos foi assinada em junho de 2019, após 20 anos de negociação. Atualmente, o acordo está em revisão jurídica e, em alguns meses, começaria a ser traduzido para as 23 línguas oficiais do bloco europeu. Depois, iria para ratificação no Conselho Europeu, depois para o Parlamento Europeu e, dependendo do formato, também para os Parlamentos nacionais de cada país da UE e do Mercosul.

No entanto, em outubro do ano passado, a maioria dos parlamentares europeus aprovou um texto afirmando que, do jeito que está, o acordo não será ratificado e que são necessários compromissos ambientais adicionais. O texto era simbólico, mas deixou claro que não haveria apoio suficiente ao acordo no Parlamento.

Os negociadores europeus propuseram fazer um “anexo” de compromissos ambientais exigidos pelos Verdes e partidos de esquerda. Seis meses se passaram, houve apenas conversas informais sobre os compromissos adicionais, e o acordo está paralisado.

“Até hoje a UE não começou a negociar esse anexo, eles não sabem nem que compromissos ambientais vão pedir”, disse à Folha o eurodeputado espanhol Jordi Cañas, relator do acordo no Parlamento Europeu.

O novo chanceler brasileiro, Carlos Alberto França, afirmou em audiência na Câmara, na quarta-feira (28), que, “com otimismo, podemos terminar o processo [do acordo com a UE] até o fim do ano que vem.”

Leia mais em Folha de S.Paulo

Artigos relacionados
Política

"UE cruza 'linha vermelha' com embargo de petróleo russo"

EconomiaPolítica

UE garante "estar preparada" para corte de gás russo

Política

Bruxelas defende envio de armas para Kiev

MundoSociedade

Inverno: não vacinados podem originar novas vagas de covid-19

Assine nossa Newsletter