Biden diz que economia vai crescer ao maior ritmo em quatro décadas - Plataforma Media

Biden diz que economia vai crescer ao maior ritmo em quatro décadas

O Presidente dos Estados Unidos afirmou que o país vai crescer este ano ao maior ritmo em quatro décadas e prometeu mais emprego, durante um discurso no Congresso para assinalar 100 dias de Governo.

Joe Biden, que assinalou na quarta-feira o 100.º dia como Presidente numa sessão conjunta da Câmara dos Representantes e do Senado, lembrou que o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê o crescimento da economia norte-americana a uma taxa de 6% já este ano, num discurso marcado pela ideia de que o país está a virar a página da crise.

“Os Estados Unidos estão outra vez em movimento. Não podemos parar agora”, sublinhou.

Biden afirmou que o país está a emergir da crise sem precedentes provocada pela pandemia, aludindo ainda à fratura da sociedade e aos ataques à democracia impulsionados pelo antecessor, o republicano Donald Trump.

“Há 100 dias, os Estados Unidos estavam em chamas”, disse o democrata, afirmando que as ações do seu executivo mudaram as perspetivas do país.

Ao lembrar que herdou o combate à covid-19 quando iniciou o mandato, em 20 de janeiro, Biden defendeu que a campanha de vacinação é “um dos maiores sucessos logísticos” na história do país.

“Prometi 100 milhões de vacinas [contra a] covid-19 em 100 dias”, referiu o político, para salientar que esse número foi afinal mais do dobro, 220 milhões.

“Mais de metade dos adultos receberam pelo menos uma dose”, disse Biden, acrescentando que “a morte de idosos baixou 80% desde janeiro”.

O discurso ficou marcado pela defesa da classe média norte-americana, com propostas económicas para apoiar os mais afetados pela crise sanitária, aumentando os impostos dos mais ricos.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
Política

Coreia do Norte preparada para teste nuclear antes de visita de Biden a Seul

Política

Biden reverte ordem de Trump e restabelece voos comerciais para Cuba

Política

EUA anunciam mais assistência militar à Ucrânia

Política

Kremlin diz que discurso de Biden sobre “genocídio” é inaceitável

Assine nossa Newsletter