Seca e fome obriga 15 mil angolanos a migrar para o Norte da Namíbia - Plataforma Media

Seca e fome obriga 15 mil angolanos a migrar para o Norte da Namíbia

A seca cíclica que assola a região Sul do país, deixando rastos de fome para as populações das províncias do Namibe, Huíla e Cunene, está a provocar a migração de milhares de angolanos das províncias do Cunene e Huíla para o Norte da vizinha República da Namíbia

A denúncia foi feita pela Igreja Católica, num encontro com o Governo Provincial da Huíla, durante a visita que visou avaliar os efeitos da seca naquela parcela do país, a mais afectada pela seca.

Segundo o responsável da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no município dos Gambos, até ao momento já foram contabilizados um total de 15 mil angolanos, que fugiram a fome que assola os municípios dos Gambos na Huíla e do Curoca no Cunene, encontram-se refugiados no Norte da Namíbia.

O Padre Jacinto Pio Wakussanga disse que o número de cidadãos que abandonam o território nacional pode vir a aumentar, caso não sejam tomadas medidas concretas e permanentes, em função do velho problema que assola a região sul do país. Segundo o sacerdote católico e presidente da Associação Construindo Comunidades (ACC), até no passado dia 11 do mês em curso, pelo menos 30 pessoas da localidade de Tchihepepe preparavam- se para partirem para a vizinha República da Namíbia.

Leia mais em OPaís

Assine nossa Newsletter