Criadores pretendem remodelar Superliga europeia após êxodo dos ingleses

Criadores pretendem remodelar Superliga europeia após êxodo dos ingleses

Os criadores da Superliga europeia de futebol revelaram hoje, em comunicado, que pretendem remodelar aquela competição, depois de os seis clubes ingleses terem anunciado o seu abandono

“Apesar da anunciada partida dos clubes ingleses, forçados a tal decisão devido à pressão exercida sobre eles, estamos convencidos de que a nossa proposta está completamente alinhada com as leis e regulamentos europeus, como foi demonstrado pela recente decisão judicial de proteger os direitos da Superliga”, pode ler-se no comunicado distribuído, após uma reunião telemática dos clubes que se mantêm.

Aquela estrutura acrescenta: “Dadas as correntes circunstâncias, vamos reconsiderar os passos a dar para remodelar o projeto, tendo sempre em conta que os nossos principais objetivos são oferecer aos adeptos a melhor experiência possível, além de garantir os mecanismos de solidariedade para toda a comunidade do futebol.”

As equipas espanholas do Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid e os italianos Juventus, Inter de Milão e AC Milan mantêm a proposta de uma nova competição europeia, “porque o sistema atual não funciona”. La saída dos ingleses Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham não provoca nenhuma alteração, acrescentam.

Os seis clubes ingleses co-fundadores da denominada Superliga europeia de futebol – Arsenal, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Tottenham e Chelsea – anunciaram a sua desistência da competição.

O Manchester City foi o primeiro dos clubes ingleses a oficializar, na terça-feira, a saída da Superliga, seguindo-se, pouco depois e praticamente ao mesmo tempo, Arsenal, Liverpool, Manchester United e Tottenham, antes de o Chelsea consumar o abandono de toda a ‘elite’ do futebol britânico, já na madrugada de hoje.

Com o anúncio da saída do Chelsea, o grupo de clubes fundadores da Superliga fica reduzido a metade, restando apenas seis dos primeiros 12 emblemas que foram anunciados há pouco mais de 48 horas: os espanhóis Real Madrid, FC Barcelona e Atlético de Madrid e os italianos AC Milan, Inter de Milão e Juventus.

Contudo, a comunicação social internacional adianta que Atlético de Madrid, AC Milan e Inter de Milão também se preparam para oficializar a saída em breve.

No domingo, AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, FC Barcelona, Inter Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham anunciaram a criação da Superliga europeia, à revelia de UEFA, federações nacionais e vários outros clubes.

A competição previa ser disputada por 20 clubes, 15 dos quais fundadores – apesar de só terem sido revelados 12 – e outros cinco, qualificados anualmente.

A UEFA anunciou que vai excluir todos os clubes que integrem a Superliga, assegurando contar com o apoio das federações de Inglaterra, Espanha e Itália, bem como das ligas de futebol destes três países.

Related posts
Desporto

Após Superliga, Klopp e Guardiola criticam nova Liga dos Campeões

DesportoMundo

Superliga: as palavras do presidente da UEFA sobre a saída dos clubes ingleses

DesportoMundo

Manchester United anuncia saída de Ed Woorward

DesportoMundo

Competições europeias de clubes: uma história de 70 anos

Assine nossa Newsletter