Tratamento ilegal com cloroquina mata mulher 27 dias depois de ser mãe - Plataforma Media

Tratamento ilegal com cloroquina mata mulher 27 dias depois de ser mãe

Uma mulher, de 33 anos, infetada com covid-19, foi tratada com nebulização de hidroxicloroquina, em Manaus, no Brasil. Médica não seguiu protocolos nem consultou o marido da paciente, que estava no hospital com o filho recém-nascido há apenas 27 dias. A mulher morreu.

Jucileia de Sousa Lima, técnica de radiologia, tinha covid-19 e estava internada na unidade de cuidados intensivos do Instituto da Mulher e Maternidade Dona Lindu, em Manaus, depois de ter dado à luz. No mesmo hospital estava o marido, Kleison Oliveira da Silva, de 30 anos, preocupado com a saúde da mulher e a prestar cuidados ao filho recém-nascido.

Qual não foi o seu espanto quando Kleison recebeu uma mensagem da irmã, por WhatsApp, com um vídeo onde Jucileia aparecia sorridente durante um tratamento por nebulização de hidroxicloroquina, dias depois de um parto de emergência. Foi assim que ficou a saber que a mulher recebeu um tratamento experimental com um medicamento considerado ineficaz contra a covid-19 e que pode causar reações adversas, segundo a Organização Mundial de Saúde. (OMS).

Leia mais em Jornal de Notícias

Assine nossa Newsletter