O que torna a variante brasileira do coronavírus tão perigosa? - Plataforma Media

O que torna a variante brasileira do coronavírus tão perigosa?

Cepa P.1 espalha-se de forma veloz em vários países. Perigo reside sobretudo no facto de ela ser mais contagiosa – e possivelmente mais resistente a vacinas.

Nos últimos dias se confirmou o que os virologistas vinham alertando desde janeiro: a variante P.1 do coronavírus, identificada pela primeira vez em Manaus, se impôs e agora se espalha numa velocidade assombrosa.

Se no início do ano havia menos de mil mortes por dia no Brasil, desde o fim de março os números aumentam de forma dramática. Atualmente, são mais de 3 mil mortes todos os dias. Cerca de 90% das novas infecções são atribuídas à P.1.

Em meio à falta de testagem em larga escala e a subnotificação, o número real de novos casos não pode ser determinado com segurança. Mas uma coisa é certa: a disseminação do vírus ficou completamente fora de controle. Segundo números oficiais, mais de 13 milhões de pessoas já contraíram o coronavírus no país até agora.

Leia mais em Istoé

Assine nossa Newsletter