"Num ambiente de amiguismo e corrupção as perdas são generalizadas" - Plataforma Media

“Num ambiente de amiguismo e corrupção as perdas são generalizadas”

Com o país acossado pela instabilidade macroeconómica e dependente de apenas um produto (o petróleo), o responsável pela coordenação da economia explica o que tem sido feito, defende a agricultura familiar e repete: só uma nova e diversificada estrutura económica poderá relançar o crescimento e o desenvolvimento de Angola

O país regista cinco anos de recessão económica, um longo período que tem sido marcado pela instabilidade ao nível da inflação, crescimento da economia e taxas de juro elevadas. Este declínio resulta apenas da estrutura económica do país ser largamente dependente do sector Petrolífero?

Não tenho quaisquer dúvidas de que a enorme dependência da economia de Angola dos recursos provenientes do petróleo é a causa dos grandes desequilíbrios que o país tem vivido de modo cíclico. Deixe-me a título de ilustração dar alguns exemplos da nossa história económica recente. Após ter alcançado a paz definitiva em 2002, Angola entrou para uma trajectória de crescimento rápido até ao ano de 2014. Nesse período, isto é, de 2003 a 2014, o crescimento médio anual de Angola foi de 8 por cento. Houve mesmo um espaço de tempo, de 2004 a 2008, em que o crescimento médio foi de 12,54 por cento. Angola era dos países que mais crescia no mundo. Entretanto, no período de 2015 a 2020, o crescimento médio anual de Angola foi negativo em cerca de 1 por cento. Com excepção do ano de 2015, em que o país exibiu um crescimento pálido de 0,9 por cento, em todos os restantes anos desse período o crescimento foi negativo.

Leia mais em Jornal de Angola

Related posts
AngolaSociedade

Pescadores do cemitério de navios em Angola pescam sucata em vez de peixe

AngolaSociedade

Mais de 50 empresas angolanas interessadas em gerir aterro sanitário de Luanda

AngolaSociedade

Sobe para 10 número de mortos devido a bebida alcoólica adulterada em Luanda

AngolaPortugal

Cinco empresas portuguesas juntaram-se hoje à mega limpeza de Luanda

Assine nossa Newsletter