Policiais algemam e jogam spray de pimenta em menina de nove anos nos Estados Unidos - Plataforma Media

Policiais algemam e jogam spray de pimenta em menina de nove anos nos Estados Unidos

Um vídeo no qual policiais algemam e jogam spray de pimenta em uma menina negra de nove anos em Rochester, nordeste dos Estados Unidos, provocou uma nova onda de indignação com os métodos utilizados pelas forças de segurança no país. 

A polícia desta cidade do estado de Nova York justificou a ação alegando que a menina, que não teve a identidade revelada, sofria de uma grave emergência de saúde mental, com ameaças de matar a mãe e cometer suicídio. 

Os agentes que foram acionados na sexta-feira algemaram a criança e, quando não conseguiram colocá-la na viatura, usaram spray de pimenta, de acordo com vídeos das câmeras posicionadas nos uniformes dos policiais, divulgados no domingo pelas forças de segurança. 

Eles afirmaram que precisaram agir desta maneira para garantir a segurança da menina. 

A prefeita de Rochester, a afro-americana Lovely Warren, condenou o uso da força contra as crianças e prometeu uma investigação interna sobre as práticas dos policiais da cidade. 

“Tenho um filho de 10 anos. Ela é uma criança, um bebê. Como mãe, este vídeo não é algo que você queira assistir”, afirmou no domingo. 

Esta é a segunda vez em um ano que policiais de Rochester são acusados de atos violentos contra cidadãos negros. Em março, Daniel Prude morreu depois de entrar em coma após sua detenção com extrema violência. 

A polícia colocou um capuz em sua cabeça depois que ele cuspiu nos agentes e afirmou que tinha o coronavírus. 

A morte de Prude, que também sofria uma crise de saúde mental no momento da detenção, provocou uma investigação e grandes manifestações na cidade.

Artigos relacionados
MundoPolítica

Chefes do Pentágono de Trump indiciados pela reação lenta ao ataque ao Capitólio

Mundo

Câmara Baixa dos EUA antecipa fim da sessão face a alerta de ataque ao Capitólio

MundoPolítica

Governador de Nova York acusado de assédio sexual por segunda mulher

MundoPolítica

Trump fará primeiro discurso público após deixar presidência

Assine nossa Newsletter