China erradica pobreza extrema nas vésperas do centenário do Partido Comunista - Plataforma Media

China erradica pobreza extrema nas vésperas do centenário do Partido Comunista

No interior da região de Guangxi, sudoeste da China, blocos de apartamentos, auto-estradas, fábricas ou cooperativas agrícolas erguem-se onde outrora o isolamento e êxodo dos mais jovens ditavam a pobreza extrema de milhões de camponeses. “Agora, tenho uma fábrica perto de minha casa”, diz Wang Xiaoyuan, operária fabril, de 32 anos, residente na prefeitura de Fangchenggang, no extremo sul da província.

O emprego na fábrica de têxteis, onde o som acompassado das máquinas atesta a monotonia do trabalho de tecelagem, paga o equivalente a 380 euros por mês, mas Wang, que passou a maior parte da juventude a cerca de 2.000 quilómetros de casa, está “satisfeita”. “Depois do trabalho, posso voltar a casa e cuidar dos meus filhos”, descreve à agência Lusa.

Longe do espectacular desenvolvimento económico que se formou no litoral da China, com mega metrópoles e uma classe média composta por mais de 500 milhões de pessoas, o interior do país asiático permaneceu sobretudo pobre. Porém, com o aproximar do seu centésimo aniversário, em Julho de 2021, o Partido Comunista Chinês (PCC) acorreu a cumprir com um dos principais desígnios da sua fundação: garantir prosperidade para todos, num país historicamente de grandes desigualdades sociais.

Leia mais em Hoje Macau

Artigos relacionados
ChinaEconomia

A receita chinesa de luta contra pobreza

BrasilSociedade

Brasil começa 2021 com mais miseráveis que há uma década

ChinaSociedade

China erradica pobreza extrema nas vésperas do centenário do Partido Comunista

MacauSociedade

Mais de 40% das crianças pobres são de famílias monoparentais

Assine nossa Newsletter