Nenhum partido defende adiamento das eleições, diz Marcelo - Plataforma Media

Nenhum partido defende adiamento das eleições, diz Marcelo

Os sete candidatos à presidência da República enfrentaram-se esta terça-feira, na RTP, naquele que foi o último debate antes das eleições de dia 24. Marcelo Rebelo de Sousa, que participou por videoconferência após um dos testes à covid-19 que realizou ter dado positivo, deixou a garantia: nenhum partido defende o adiamento do ato eleitoral e “não há condições” para o adiar.

“Não houve nenhum partido que tivesse defendido a ideia de uma revisão constitucional e, portanto, uma necessidade de adiamento” das presidenciais, revelou Marcelo – que, enquanto presidente, ouviu as forças políticas sobre o tema.

André Ventura, apoiado pelo Chega, recordou que a lei impede que se altere a Constituição durante o estado de emergência, argumentando também que o Governo “não preparou devidamente” a ida às urnas.

Ana Gomes, apoiada pelo PAN, também não exige o reagendamento: “Não desejo adiar as eleições, mas ele deveria ser ponderado e não me oporia”, referiu. Para João Ferreira, apoiado pelo PCP, deve combinar-se o combate a “alarmismos” com a exigência de medidas de segurança sanitária para a ida às urnas.

Leia mais em Jornal de Notícias

Artigos relacionados
PolíticaPortugal

Presidenciais: Marcelo ganha à 1.ª volta e Ana Gomes em segundo

PolíticaPortugal

Marcelo defende que faz sentido "ponderar-se fechar todas as escolas"

EconomiaMundo

Salários presidenciais pelo mundo: Marcelo Rebelo de Sousa no fim da lista

PolíticaPortugal

Presidenciais: Marcelo quer voto eletrónico e por correspondência e mais eleitos pela emigração

Assine nossa Newsletter