Programa agroflorestal português distribui árvores de sândalo em Timor-Leste

Programa agroflorestal português distribui árvores de sândalo em Timor-Leste

O projeto da Quinta Portugal, apoiado pela cooperação portuguesa, distribui na quarta-feira mais de 70 mil árvores, produzidas nos seus viveiros e nos de produtores locais, para assinalar o Dia Nacional do Sândalo e das Florestas

A iniciativa envolve, além do Projeto Agroflorestal Quinta Portugal, implementado pelo Instituto Camões, o projeto Ai Ba Futuru, que é cofinanciado pela União Europeia e pelo Governo da Alemanha e implementado pela GIZ em colaboração com o Ministério da Agricultura e Pescas timorense.

Em comunicado, os promotores explicam que as 70 mil árvores são destinadas a beneficiários do projeto Ai Ba Futuru.

Paralelamente serão ainda plantadas árvores de sândalo e novas mudas de cafeeiro arábica no interior do Centro Agroflorestal da Quinta Portugal.

As duas ações marcam o Dia Nacional do Sândalo e das Florestas, decretado pelo Governo Timorense em 2017 como “forma de reforçar o papel crucial das florestas no combate às alterações climáticas, na conservação da biodiversidade e no desenvolvimento económico”.

Uma oportunidade, explicam os promotores, de promover a colaboração entre o Governo e os Estados-membros da UE de apoiar “as comunidades rurais na valorização e diversificação das florestas e plantações nacionais”.

“A União Europeia está com aqueles que se preocupam em melhorar o ambiente e proteger as florestas. Temos orgulho em trabalhar com o Governo timorense, que partilha a nossa preocupação por um mundo mais verde”, referiu Andrew Jacobs, embaixador da União Europeia em Timor-Leste.

“O Ai ba Futuru está a apoiar jovens empresários que vivem no contexto rural e a ajudar as comunidades a enfrentar os constrangimentos económicos gerados pela pandemia”, notou ainda.

O dia marca ainda o arranque do processo de distribuição de mudas agroflorestais produzidas pelo Projeto Quinta Portugal para a época de plantação 2021.

Entre 2019 e 2022 a Quinta Portugal e a GIZ esperam produzir e distribuir mais de 200.000 árvores de espécies agroflorestais destinadas a beneficiários do Projeto Ai Ba Futuru nos municípios de Manatuto, Baucau, Viqueque e Lautém.

Na aldeia de Hularema, no município de Aileu, a sul de Díli, o Projeto Quinta Portugal, sediado no Centro Agroflorestal da Quinta Portugal “visa contribuir para a melhoria da segurança alimentar nacional, através do aumento dos rendimentos das comunidades rurais, por meio da diversificação das suas produções agroflorestais e do fortalecimento das cadeias de mercado, estimulando a prática de técnicas de conservação e gestão sustentável dos recursos naturais”.

O Ai ba Futuru (Parceria para Agrofloresta Sustentável – PSAF) é um projeto cofinanciado pela UE e pelo Ministério Federal de Cooperação e Desenvolvimento Económico da Alemanha, em colaboração com o Ministério da Agricultura e Pescas.

O projeto de cinco anos tem como alvo famílias marginalizadas em 40 aldeias selecionadas dos municípios de Manatuto, Baucau Viqueque e Lautém, e visa plantar 3 milhões de árvores.

Artigos relacionados
ChinaEconomia

Cooperação Macau/Shenzhen de olhos postos nos mercados lusófonos

Grande BaíaMacau

Cooperação: Ho Iat Seng de visita a Dongguan e Huizhou

ChinaGrande Baía

Acordo UE-China deverá estender-se a Macau e Hong Kong, prevê Sales Marques

AngolaEconomia

Angola recebe doação de 20 milhões de euros da União Europeia

Assine nossa Newsletter